Yuri Alberto não marca na estreia, mas Corinhians faz três e bate Coritiba

Por Glauco de Pierri

A maior expectativa do torcedor do Corinthians, que mais uma vez compareceu em excelente número na Neo Química Arena, na partida desta quarta-feira, contra o Coritiba, era acompanhar de perto a estreia do maior reforço do clube nesta janela de transferências – o atacante Yuri Alberto.

O técnico português Vítor Pereira colaborou e optou por mandar a campo um time com três jogadores de frente. Assim, com Willian pelo lado direito ofensivo, o novo reforço centralizado e Róger Guedes pelo setor esquerdo, o Alvinegro criou as melhores oportunidades da partida e mereceu a vitória por 3 a 1.

O time cometeu seguidas falhas em seu sistema defensivo, que quase comprometeram a vitória. Com o resultado, o time chegou aos 32 pontos, um abaixo do líder Palmeiras, que joga nesta quinta-feira contra o América-MG, em Belo Horizonte.

Yuri Alberto foi bem em sua primeira partida. O atacante atuou todo o primeiro tempo segurando os zagueiros do Coritiba, fechando os espaços e sempre com muita disposição para combater os adversários. Nos primeiros 45 minutos, o Corinthians manteve uma pressão alta no adversário paranaense, que tinha dificuldade para sair do sufoco, mas que nas duas vezes que conseguiu, levou muito perigo à meta de Cássio.

Na primeira chance do Coritiba, logo aos seis minutos, Rafael Ramos errou passe no meio-campo e Alef Manga desperdiçou chance incrível – ele bateu direto para o gol e chutou para fora, quando poderia ter tocado para Régis, livre na área, fazer o gol

O Corinthians marcava firme e mantinha duas linhas de quatro jogadores na contenção, em um 4-4-2 clássico, mas que na hora do ataque se transformava no ofensivo 4-4-3. Em uma dessas transições, Yuri Alberto puxou a marcação e fez o pivô para Willian, que entrou em velocidade pela direita da área e bateu firme, rasteiro, para grande defesa de Muralha, que espalmou e conseguiu segurar o rebote na sequência.

No minuto seguinte, mais uma vez o Coritiba perdeu grande chance Alef Manga carregou a bola pela esquerda, chegou à linha de fundo e cruzou rasteiro para trás. Régis apareceu sozinho, na entrada da área, girou o corpo e bateu de primeira, rasteiro, mas a bola triscou a trave esquerda do goleiro Cássio.

O castigo para o Coritiba veio na sequência. Aos 36, Yuri Alberto pressionou a saída de bola do time paranaense e conseguiu retomar a posse pelo setor esquerdo do ataque. Ele correu em direção à área e cruzou rasteiro, com força.

A defesa do time alviverde se atrapalhou toda e Luciano Castán foi tentar afastar, mas apenas ajeitou para Róger Guedes, que teve tempo e calma para bater com força no canto esquerdo de Muralha para abrir o placar para o Corinthians – foi o 17.º gol do atacante pelo clube, que foi para o intervalo em vantagem no marcador.

Com Fágner no lugar de Rafael Ramos, o Corinthians voltou para o segundo tempo com a ideia de tentar manter a pressão e aumentar o placar. O lado ruim é que o time seguiu com buracos em seu sistema defensivo.

Aos sete minutos, em rápido contra-ataque puxado por Igor Paixão, Alef Manga recebeu em ótima posição e bateu da entrada da área, para grande defesa de Cássio – nesta quarta-feira, o goleiro atingiu a marca de 602 jogos pelo clube e se igualou a Ronaldo Giovanelli como o terceiro atleta com mais disputou partidas pela equipe.

Mas na jogada seguinte, o Coritiba chegou ao empate. Egídio recebeu livre pela esquerda e cruzou na área. Léo Gamalho subiu bem e escorou. O zagueiro Luciano Castán testou para o chão e a bola subiu, saindo do alcance de Cássio – 1 a 1.

Vítor Pereira resolveu mexer três jogadores ao mesmo tempo e foi muito feliz nas substituições. Pouco tempo depois de mandar a campo Adson, Giuliano e Gustavo Mosquito, o Corinthians marcou o seu segundo gol. O time foi com tudo para a área. Mosquito ficou com a sobra e cruzou, Raul Gustavo não desistiu da briga e a bola sobrou para Adson bater de primeira e marcar o segundo gol alvinegro da noite.

O Corinthians não parou por aí e seguia na tentativa de finalizar o jogo. O time ainda sofreu um susto, numa batida de primeira de Alef Manga, mas chegou ao terceiro gol aos 40 minutos do segundo tempo. Gustavo Mosquito, mais uma vez, cruzou com perfeição na área e Raul Gustavo, sozinho, cabeceou com força para vencer o goleiro Alex Muralha e decretar o resultado final.

O Corinthians continua mostrando força para brigar pelos três títulos que disputa nesta temporada e não será surpresa se conseguir conquistar ao menos uma taça.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 3 X 1 CORITIBA

CORINTHIANS – Cássio; Rafael Ramos (Fagner), Gil, Raul Gustavo e Lucas Piton; Cantillo, Maycon (Du Queiroz) e Roni (Adson); Willian (Giuliano), Yuri Alberto e Róger Guedes (Gustavo Mosquito). Técnico: Vítor Pereira.

CORITIBA – Alex Muralha; Natanael (Nathan), Guillermo de los Santos, Luciano Castán e Egídio; Willian Farias (Bernardo), Val (Thonny Anderson) e Régis (Adrián Martínez); Alef Manga (João Vitor), Léo Gamalho e Igor Paixão. Técnico: Gustavo Morínigo.

GOLS – Róger Guedes, aos 36 minutos do primeiro tempo; Luciano Castán, aos 9, e Adson, aos 22, e Raul Gustavo, aos 40 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Wagner do Nascimento Magalhães.

CARTÕES AMARELOS – Val, Rafael Ramos e Willian Farias.

RENDA – R$ 2.535.409,50.

PÚBLICO – 39.852 pagantes (40.136 total)

LOCAL – Neo Química Arena, em São Paulo.

Estadão Conteúdo / Foto: Rodrigo Coca-Ag. Corinthians