Inter e São Paulo empatam em grande jogo de seis gols no Beira-Rio

Por Ricardo Magatti

Os 11 desfalques do São Paulo não impediram que a equipe protagonizasse com o Internacional uma das melhores partidas do Brasileirão nesta quarta-feira. No Beira-Rio, gaúchos e paulistas deram espaços para jogar e jogaram. 

Num jogo de seis gols, cinco deles marcados só no primeiro tempo, reclamações, bom futebol e intervenções do VAR, algo rotineiro no futebol brasileiro, deu empate por 3 a 3.

O resultado é pior para o Inter, que, com o tropeço em casa, desce duas posições e cai para o sexto lugar, com 30 pontos, a três do líder Palmeiras. Ainda sem conseguir deslanchar no torneio, o São Paulo é o décimo, com 25 pontos.

Mas pode comemorar o ponto conquistado no Sul porque se superou mesmo com um time inteiro de desfalques e fez uma boa apresentação diante de um dos times mais regulares da competição. Depois de ficar três vezes em desvantagem, o time de Ceni foi buscar o empate.

Foi um jogo bom de o torcedor assistir e incômodo para os técnicos, que notaram que suas equipes cometeram erros defensivos. Do lado do São Paulo, o jovem goleiro Thiago Couto, substituto do lesionado Jandrei, teve uma noite feliz. Falhou em dois dos três gols e se posicionou mal no segundo.

O protagonista colorado foi Pedro Henrique, autor de dois gols, mesmo número de vezes que foi às redes Nikão, o destaque são-paulino. Pedro Henrique abriu o placar de cabeça, aproveitando um frango de Thiago Couto, aos três. Nikão empatou pouco tempo depois completando cruzamento de Igor Vinícius.

Pedro Henrique reapareceu para recolocar o Inter em vantagem aos 24, novamente em cabeceio. Mas o insistente Nikão foi às redes novamente e deixou tudo igual aos 29, depois de assistência de Luciano. O primeiro tempo frenético, porém, terminou com os anfitriões na frente.

Thiago Couto derrubou Alemão na área. Edenilson, costumeiramente certeiro nas cobranças de pênalti, converteu com um chute no alto e deixou seu time novamente na dianteira. O São Paulo quase empatou de novo aos 45, quando Rodrigo Nestor carimbou a trave.

No segundo tempo, o São Paulo – acredite se quiser – buscou a igualdade pela terceira vez. Se Nestor não fez, Luciano marcou. Rafinha cruzou na medida para o atacante desviar de cabeça aos oito da etapa final. Dali em diante, não houve mais gols. Muito porque Thiago Couto se redimiu dos erros nos primeiros 45 minutos e fez boas defesas para evitar que o placar se alterasse mais uma vez.

FICHA TÉCNICA

INTER 3 X 3 SÃO PAULO

INTER – Daniel; Heitor (Estevão), Moledo, Mercado e Moisés (Thauan); Gabriel, Edenilson, De Pena e Maurício (Johnny); Pedro Henrique e Alemão (Wanderson). Técnico: Mano Menezes.

SÃO PAULO – Thiago Couto, Rafinha, Beraldo (Diego) e Luizão; Igor Vinícius, Gabriel, Talles, Nestor (Igor Gomes), Nikão (Eder) e Marcos Guilherme (Wellington); Luciano. Técnico: Rogério Ceni.

GOLS – Pedro Henrique, aos 3 e aos 24, Nikão, aos 9 e aos 31, Edenilson, aos 40 do 1ºT; Luciano, aos 8 do 2ºT

ÁRBITRO – Marcelo de Lima Henrique (CE)

CARTÕES AMARELOS Thiago Couto, Luciano, Moledo, Gabriel, Heitor, Rafinha, Luizão, Mercado

RENDA – R$ 1.577.029,00

PÚBLICO – 32.804

LOCAL – Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Estadão Conteúdo / Foto: São Paulo FC