Fluminense supera o Cruzeiro, cala Mineirão lotado e avança na Copa do Brasil

Com direito a recorde de público, o Fluminense voltou a vencer o Cruzeiro na noite desta terça-feira, desta vez por 3 a 0, no Mineirão, em Belo Horizonte, e garantiu vaga nas quartas de final Copa do Brasil. Foi o maior público do ano no estádio mineiro: 58.844 presentes para empurrar o time da casa para virada que não ocorreu.

O Fluminense já havia vencido o confronto de ida, por 2 a 1, no Rio, por isso poderia até empatar para sair de campo com a classificação. Já o Cruzeiro precisava ganhar por um gol de diferença para decidir nos pênaltis ou por dois gols para ficar com a vaga, o que não aconteceu. O feito também garantiu aos cariocas premiação de R$ 3,9 milhões da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Como esperado, o primeiro tempo foi bastante equilibrado e com chances de gols dos dois lados. O Fluminense quase abriu o placar no primeiro minuto, com Arias aproveitando confusão na área e finalizando por cima do travessão de Rafael Cabral, já batido no lance.

O Fluminense seguiu mais consciente com a bola nos pés e com troca de passes voltou a assustar aos 11 minutos, após Ganso dar ótimo lançamento ao jovem Matheus Martins, que invadiu a área e chutou cruzado para ótima defesa de Rafael Cabral. Após os sustos, o Cruzeiro equilibrou o confronto.

Com a marcação alta, o time mineiro passou a dificultar a saída de bola do rival e levou mais perigo. Aos 16, Edu recebeu cruzamento na área e finalizou de primeira para a defesa com os pés de Fábio. Logo em seguida a arbitragem marcou impedimento do atacante na origem do lance.

O confronto seguiu muito disputado, contudo, antes do intervalo o clima esquentou dentro e fora do gramado. Tanto é que o técnico Paulo Pezzolano, do Cruzeiro, exagerou nas reclamações e acabou expulso de campo. A primeira etapa terminou com os mineiros sendo superiores.

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou muito superior e não deixou o Fluminense ter a mesma tranquilidade com a bola nos pés. Foram muitas bolas na área do time carioca, a mais perigosa aos 15 minutos, quando Luvannor finalizou fraco no canto direito para a defesa de Fábio.

Tímido na etapa final, o Fluminense se segurou na defesa e abriu o placar aos 24 minutos. Arias tabelou com Cano dentro da área e finalizou por cima do goleiro Rafael Cabral. A bola ainda tocou na trave antes de entrar, tornando ainda mais difícil a missão do Cruzeiro dentro da partida.

O gol do Fluminense desestabilizou os mandantes, que foram ao ataque de forma desorganizada. Não demorou e os cariocas marcaram o segundo gol. Aos 39, Martinelli cruzou da direita e Germán Cano, sozinho, chutou forte. Ainda antes do apito final, aos 47, Nathan recebeu na área, finalizou e contou com desvio na marcação para fazer o terceiro e liquidar o jogo.

Estadão Conteúdo / Foto: Cruzeiro