Estacionado na tabela, Maringá FC espera apoio da torcida para vencer o líder hoje no WD

Maringá FC espera

Ainda combalido pela derrota por 2 a 0 para o São-Joseense domingo, 13, o Maringá Futebol Clube tem nesta quarta-feira, 16, a difícil missão de buscar a recuperação justamente contra o líder do Campeonato Paranaense, o Operário de Ponta Grossa, que deve chegar mordido pelo fato de ter “apenas” empatado com o Cianorte domingo no Albino Turbay, o que facilitou para Coritiba e Cascavel igualarem o número de pontos e ameaçar a liderança. O Maringá FC espera como vantagem o apoio da sua torcida.

Em sétimo na tabela de classificação, o Maringá está a apenas 4 pontos de diferença do líder Operário, que não conseguiu se isolar na liderança ao ceder empate ao Cianorte. O Maringá FC tem 10 pontos e o adversário 14.

O time maringaense vem de 3 vitórias, 3 derrotas e um empate. 

 

Noite de WD lotado

O jogo pela oitava rodada do Paranaense começa às 20h30 e mais uma vez a diretoria do Maringá espera uma grande torcida. Em todos os jogos levados no Willie Davids nesta temporada o Maringá teve acima de 5 mil torcedores empurrando o time.

Os ingressos já estão disponíveis pelo site www.ingressonacional.com.br/mfc ou presencialmente no Posto Canadá, Posto Dubai e Posto Piloto. As bilheterias do Willie Davids serão abertas às 16h30 e os portões para acesso às 17 horas, com o início do Esquenta Maringá.

A promoção nos ingressos continua e todos que levarem um quilo de alimento não perecível ou ração para cães ou gatos, pagam meia entrada. Os valores são R$ 60,00 inteira e R$ 30,00 meia entrada para o setor coberto e R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia entrada para o setor descoberto. 

É obrigatória a apresentação da carteira de vacinação com o ciclo de vacinas contra a COVID-19 completo. Caso não tenha se vacinado, é necessário apresentar o teste PCR com validade de 24 horas antes do evento.

 

Agora sem Carlinhos 

Na terça-feira, a diretoria do Maringá Futebol Clube informou o encerramento do contrato com o lateral Carlinhos, que já há algum tempo vinha à disposição do Departamento Médico. Segundo a diretoria, a iniciativa de fazer o desligamento foi do atleta.

“Embora a paixão pelo futebol siga intacta, chegou o dia que eu não gostaria que surgisse. As dores no corpo e o desgaste físico me colocaram no limite e, infelizmente, hoje me despeço do Maringá Futebol Clube. Gostaria de agradecer pelo carinho de todos do clube: grupo de atletas, comissão técnica, diretoria, funcionários e, é claro, ao nosso torcedor que sempre teve um grande carinho muito grande por mim. Vou levar todos em meu coração”, disse o lateral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.