Em Mandaguari, 17 pacientes já foram beneficiados com acesso gratuito à cannabis medicinal

Compartilhar

Município da região de Maringá iniciou a distribuição gratuita do medicamento em dezembro de 2023. De acordo com a Prefeitura de Mandaguari, expectativa é dobrar o número de pessoas com acesso à medicação nos próximos meses.

Por Victor Ramalho

Em Mandaguari, cidade a 32 quilômetros de Maringá, a Prefeitura comemora os resultados do primeiro mês de distribuição gratuita de medicamentos à base de cannabis medicinal. No município, até o dia 9 de janeiro, 17 pacientes já haviam sido beneficiados com a medida, conforme dados divulgados pela própria Prefeitura de Mandaguari.

A cidade iniciou a distribuição gratuita de cannabis medicinal em dezembro de 2023. Os medicamentos são destinados ao tratamento de pacientes, com 2 anos ou mais, que sejam portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou epilepsia refratária.

Até o momento, já foram distribuídos 35 frascos de CBD a 17 moradores com TEA, com idades que oscilam de 3 a 27 anos. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 76% dos pacientes são do sexo masculino e 24% do sexo feminino.

De acordo com a prefeita de Mandaguari, Ivonéia Furtado, que é profissional da Saúde, a distribuição superou as expectativas do próprio município.  “O número é maior do que esperávamos. Os remédios distribuídos até o momento representam um investimento de cerca de R$ 30,6 mil. A previsão é dobrar o público no próximo mês”, avalia a chefe do Executivo.

Um dos beneficiados com a medida é o filho de seis anos de Edmilson Carvalho. Ele conta que, antes de conseguir os medicamentos de forma gratuita, chegava a gastar quase R$ 500 por mês na compra dos produtos para o filho, que é autista. “Essa ação da prefeitura é excelente. Antes, eu gastava R$ 1,8 mil a cada quatro meses com a compra de cannabis. Agora, uso esse dinheiro para outras coisas. […] Ele fica mais tranquilo e a comunicação melhora muito”, disse.

Moradores interessados em receber os produtos à base de cannabis devem comprovar residência há pelo menos seis meses em Mandaguari e apresentar uma série de documentos, como receituário médico, laudo de solicitação do produto, ficha de acompanhamento da Estratégia Saúde da Família, cópias de exames e preencher um termo de consentimento, documentos e formulários que estão disponíveis na Farmácia Municipal.

Foto: Ilustrativa/Pixabay


Compartilhar