Novos pedágios do Paraná entram em operação em 2024 com tarifas reduzidas

Compartilhar

Foto: Divulgação / Ari Dias

Os novos pedágios do Paraná foram leiloados em dois lotes, que somam 1.078 quilômetros de estradas estaduais e federais. Os contratos serão assinados no início de 2024 e terão validade de 30 anos. As cobranças devem começar um mês após as assinaturas, com tarifas mais baixas do que as do antigo Anel de Integração.

Os lotes 1 e 2 fazem parte do programa de concessões rodoviárias do Paraná, que tem seis lotes e 3,3 mil quilômetros de estradas. Os próximos leilões estão previstos para o segundo semestre do ano que vem.

O Lote 1 abrange 473 quilômetros de rodovias em Curitiba, Guarapuava e Ponta Grossa, com investimentos de R$ 7,9 bilhões em obras de melhorias e manutenção. O Lote 2 abrange 605 quilômetros de rodovias em Curitiba, Litoral, Campos Gerais e Norte Pioneiro, com investimentos de R$ 10,8 bilhões em obras. Cerca de 3 milhões de paranaenses serão impactados pelos novos pedágios.

Saiba mais

  • O Lote 1 foi arrematado pelo Grupo Pátria, que ofereceu um desconto de 18,25% na tarifa por quilômetro rodado.
  • O Lote 2 foi arrematado pelo Grupo EPR, que ofereceu uma redução de 56% na tarifa por quilômetro rodado.
  • Os descontos variam de 21,74% a 35,33%. A maior queda será na praça de Porto Amazonas, na BR-277, que vai passar de R$ 15,30 para cerca de R$ 9,46 por quilômetro rodado de pista simples.
  • As outras praças também terão tarifas mais baixas. Em Imbituva, na BR-373, o pedágio vai custar aproximadamente R$ 8,67, uma redução de 35,33%. Na Lapa, na BR-476, o valor vai cair 35,29%, de R$ 15,30 para R$ 9,90. Em Irati, na BR-277, a tarifa vai diminuir 34,11%, de R$ 13,40 para R$ 8,83. E em São Luiz do Purunã, a queda será de 21,74%, de R$ 9,60 para cerca de R$ 7,51.
  • Os lotes 4 e 5 dos novos pedágios do Paraná são os que abrangem rodovias da região noroeste e os que mais impactam a região de Maringá. A localização das praças de pedágios dos lotes 4 e 5 pode ser vista abaixo. A expectativa era de que os leilões desses lotes acontecessem no segundo semestre de 2024, com início da cobrança do pedágio em 2025.

Fonte: AEN

 


Compartilhar