Possíveis trocas na Câmara aquecem bastidores da Política em Maringá

plenário da Câmara de Maringá
Compartilhar

Na última semana, começou-se a cogitar o retorno de Flávio Mantovani (Solidariedade) ao legislativo e a saída de Alex Chaves (MDB) para assumir o Procon. Oficialmente, ambos negam qualquer movimento neste sentido.

Por Victor Ramalho

As últimas semanas de 2023 começaram agitadas nos bastidores da Política em Maringá. Rumores sobre a possibilidade de duas trocas importantes na Câmara Municipal para 2024 começaram a circular nos corredores e também em aplicativos de mensagens.

O primeiro tem relação com o atual diretor do Procon, Flávio Mantovani (Solidariedade), que está licenciado do legislativo desde novembro de 2022, justamente quando assumiu a autarquia municipal. De acordo com conteúdos veiculados em blogs locais, Mantovani estaria cogitando retomar sua cadeira na Câmara já no primeiro semestre de 2024. Atualmente, a vaga dele é ocupada por Adriano Bacurau (Rede).

Em rápido contato com o Maringá Post nesta segunda-feira (11), o diretor do Procon negou qualquer movimento neste sentido. De acordo com Mantovani, ele ainda avalia se vai se desligar do órgão com antecedência, uma vez que avalia ser candidato a prefeito. No entanto, ainda “nada certo”, segundo o parlamentar. De acordo com a legislação eleitoral, ocupantes de cargos públicos que desejam concorrer ao Executivo precisam se desincompatibilizar da função com, no mínimo, seis meses de antecedência do pleito.

Outro rumor que surgiu na última semana também tem relação com o Procon. No domingo (10), um site local chegou a publicar que o vereador Alex Chaves (MDB), líder do prefeito na Câmara, havia sido o escolhido para assumir o órgão em caso de saída de Mantovani. Em um grupo de Whatsapp minutos depois do conteúdo ser veiculado, Chaves também negou a informação.

“Não existe qualquer possibilidade que eu faça essa troca e em nenhum momento fui consultado sobre isso”, escreveu Alex Chaves, que também usou as redes sociais para falar do assunto.

Foto: Arquivo/CMM


Compartilhar