Idosa é declarada morta por engano e morre 30 horas depois em SC

Compartilhar

Foto: Ilustrativa

Uma idosa de 90 anos foi dada como morta por médicos, mas foi encontrada viva no necrotério do hospital por funcionários de uma funerária em Santa Catarina. O caso ocorreu no Hospital Regional de São José, na Grande Florianópolis, e foi divulgado pelo deputado estadual Sérgio Guimarães (União) em suas redes sociais.

A mulher, que tinha uma infecção no trato urinário, foi internada na sexta-feira (24) e no dia seguinte o filho, Renato Godoy, recebeu a notícia de que ela havia falecido às 23h40, segundo o atestado de óbito. Ele providenciou a documentação e contratou a funerária.

Quando os profissionais da funerária foram buscar o corpo, eles notaram que ele estava quente e resolveram abrir o saco. Para a surpresa deles, a idosa estava viva e com sinais vitais. Ela foi levada para a reanimação e depois para o quarto, mas sem equipamentos ou sonda, por ordem médica, relatou o filho.

Na segunda-feira (27), a idosa não resistiu e morreu de verdade, após 30 horas desde a falsa declaração do óbito. O Hospital Regional informou ao UOL, por meio de nota, que abriu um processo de sindicância para apurar o caso. O Comitê de Ética Médica e a Comissão de óbito foram acionados.


Compartilhar