Morte de criança após brincadeira com calcário foi acidente, aponta inquérito

Compartilhar

A Polícia Civil do Paraná finalizou um inquérito sobre a morte de Arthur Emanuel Bitencourt, de sete anos, que sofreu asfixia por soterramento enquanto brincava com calcário na fazenda dos pais, em Ipiranga (cerca de 290 km de Maringá).

O caso aconteceu no dia 3 de agosto deste ano. Após as investigações, foi confirmado que a morte do menino foi um acidente.

Na época em que a ocorrência aconteceu, existia a suspeita de que a carga de calcário tivesse sido despejada sobre a criança. No entanto, o inquérito aponta que Arthur Emanuel estava brincando e acabou inalando o material – o que pode irritar o sistema respiratório e causar danos graves ao pulmão.

Com isso, foi confirmado que o pai não teve dolo nem culpa do acidente. O delegado Juarez Filho, responsável pelo caso, pediu o arquivamento do inquérito.

RELEMBRE

No dia 3 de agosto deste ano, Arthur Emanuel Bitencourt, de sete anos, morreu na fazenda dos pais após inalar calcário. O pai tentou socorrer o menino e levá-lo de carro até o hospital, mas ele não resistiu e morreu no caminho.

A família da criança disse que não sabia do perigo do calcário, que é usado para corrigir a acidez do solo. Eles contaram que Arthur e outras crianças da família já tinham brincado com o material antes.

Foto: Reprodução / Redes Sociais


Compartilhar