Cliente racista pede “motoboy branco” para entregar pastel e é denunciada

Compartilhar

Foto: Ilustrativa

ATUALIZAÇÃO: No dia 17 de novembro, a Polícia Civil do Rio Grande do Sul indiciou o dono da pastelaria por forjar uma situação de racismo contra si mesmo. Ele admitiu que criou um perfil falso no aplicativo iFood e enviou a racista para seu próprio restaurante. Diante dos fatos, ele será indiciado por falsa comunicação de crime.

Uma cliente de uma pastelaria de Campo Bom, no Rio Grande do Sul, cometeu um ato racista ao pedir que sua encomenda fosse entregue por um “motoboy branco”. A ofensa foi dirigida ao marido de Daniela Oliveira, dona do estabelecimento, que é negro e faz entregas em dias de maior demanda. O caso aconteceu na última terça-feira (14) e foi denunciado à polícia. As informações foram publicadas por Luana Takahashi, da Folhapress.

A cliente fez o pedido pelo aplicativo da pastelaria e escreveu no campo das observações: “Última vez veio um motoboy negro, peço a gentileza que mande um branco, não gosto de pessoas assim encostando na minha comida”. Daniela viu a mensagem e ficou indignada. Ela respondeu à cliente pela plataforma e entrou em contato com o aplicativo, que orientou sobre a denúncia. Em seguida, seu marido foi à delegacia para registrar um boletim de ocorrência.

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul investiga o caso para identificar a autora do crime. O endereço informado pela cliente era de um condomínio em Campo Bom, mas o síndico disse que o número do apartamento não existe e que não há nenhuma moradora com o nome que constava na plataforma. A polícia suspeita que se trate de um perfil falso.

O delegado Rodrigo Camara disse que o caso é tratado como prioridade e que a cliente pode responder por injúria racial ou por racismo, dependendo da intenção do ato. A rede de pastelaria manifestou apoio à franquia gaúcha e disse que “tamanha agressão não passará impune”.


Compartilhar