Deputado paranaense vai ao STF contra a interdição de estádio do Vasco da Gama

estádio vasco da gama
Compartilhar

Aliel Machado (PV), que é torcedor do clube, solicitou ao Supremo uma liminar para que São Januário possa voltar a receber jogos com torcida. Parlamentar fala em “racismo estrutural” na decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

Por Victor Ramalho

A luta do Vasco da Gama para voltar a receber torcida nos jogos em São Januário ganhou o reforço de um deputado federal do Paraná. Aliel Machado (PV), que tem base eleitoral em Ponta Grossa, entrou com uma ação popular no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o assunto na quarta-feira (23).

A ação, endereçada ao ministro Luís Roberto Barroso, solicita uma liminar para que a equipe carioca possa voltar a receber torcida nos jogos em casa. No documento, o parlamentar chega a citar a presença de “racismo estrutural” na decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), que mantém o estádio interditado há mais de dois meses.

“A decisão do Tribunal se fundamenta em um argumento completamente preconceituoso, onde há racismo estrutural, por alegarem que problemas externos, na região da Barreira do Vasco, estariam impedindo a reabertura do estádio”, afirmou o parlamentar.

A fala diz respeito ao relatório do juiz Marcelo Rubiolli, do Juizado Especial do Torcedor e dos Grandes Eventos. No documento, o magistrado cita tiros na comunidade para justificar a ausência de público.

Apesar de ter sido criado e morar até hoje em Ponta Grossa, Aliel é torcedor do Vasco desde a infância. “Não é só por ser deputado, é por ser torcedor, por ser cidadão. São Januário tem todas as liberações técnicas dos órgãos competentes. […] Nos bairros do entorno, temos pessoas honestas e trabalhadoras”, complementa o parlamentar.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) deverá se reunir para reavaliar a interdição de São Januário na próxima quarta-feira, 30 de agosto. O estádio cruz-maltino foi interditado no dia 23 de junho, um dia após uma confusão generalizada no campo e nas arquibancadas após a derrota da equipe diante do Goiás, por 1 a 0, pela 11° rodada do Campeonato Brasileiro.

Uma semana depois, no dia 29 de junho, o TJ-RJ chegou a retirar a interdição do local, mas ainda não autorizou o retorno do público. Desde então, o Vasco tem alternado entre jogos no Maracanã e os jogos em casa com portões fechados.

Foto: Arquivo/CR Vasco da Gama


Compartilhar