Polícia Civil apreende adolescentes suspeito de matar jovem a tiros em Sarandi

Compartilhar

Foto: Reprodução / Plantão Maringá

Em menos de 24 horas, a Polícia Civil de Sarandi, liderada pelos Delegados Adriano Garcia e William Araújo, capturou nesta terça-feira (08) os principais envolvidos na morte de Marlon Cássio Massarutti, de 19 anos. Ele foi assassinado na Rua dos Pinheiros, no Jardim Monte Rey. Segundo o Delegado Doutor William Araújo, um dos adolescentes confessou o crime. Ele disse que se sentia ameaçado pela vítima há vários dias e que no dia anterior ao crime, Marlon Cássio quase o atropelou. As armas usadas no crime não foram encontradas.

Um dos menores já era investigado pela polícia por outros delitos na cidade, inclusive por exibir nas redes sociais fotos de armas de fogo.

O crime

Na madrugada desta terça-feira (08), Marlon Cássio Massarutti, de 19 anos, foi morto a tiros em sua casa na Rua dos Pinheiros, no Jardim Monte Rey, em Sarandi. Ele já tinha sido vítima de uma tentativa de homicídio há cerca de uma semana. Segundo a Guarda Civil Municipal, a mãe de Marlon pediu ajuda à equipe que passava pela rua. Ela contou que dois homens armados e de capacetes entraram na casa e dispararam contra seu filho, que estava dormindo no quarto.

O Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionados, mas o rapaz não resistiu aos ferimentos e morreu na ambulância do Siate. A mãe disse aos agentes que a família estava celebrando o aniversário do irmão de Marlon antes do crime. Ela tentou defender o filho com um pedaço de madeira e conseguiu arrancar o capacete de um dos suspeitos. Marlon foi baleado nas costas e nos ombros. Ele ainda revelou aos policiais o nome dos autores antes de morrer.

A Polícia Militar isolou o local do crime até a chegada do Instituto de Criminalística. Depois da perícia, o corpo foi levado ao Instituto Médico Legal de Maringá. No dia 31 de julho, Marlon Cássio já tinha sido atacado por um homem com uma faca na frente da casa. Ele ficou gravemente ferido e não quis dar informações sobre o agressor.

Marlon Cássio já tinha sido alvo de uma tentativa de homicídio no dia 31 de julho. Ele foi esfaqueado por um homem na frente da casa. Ele teve ferimentos graves e não colaborou com a polícia sobre o autor do crime.

 

Compartilhar