Obras na Estrada da Graciosa avançam e primeiros trechos devem ficar prontos neste mês

Obras na Estrada da Graciosa
Compartilhar

O Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR), autarquia da Secretaria de Infraestrutura e Logística (SEIL), avança nas obras emergenciais da Estrada da Graciosa (PR-410), com perspectiva de entregar os primeiros trechos recuperados agora em agosto, e de concluir os serviços em setembro, caso as condições climáticas sejam favoráveis.

No km 12, com o dano acima da pista, já foram concluídos os serviços de grampeamento e implantação de drenos e, agora, é feita instalação das telas metálicas de alta resistência. Mais alguns dispositivos de drenagem serão executados na sequência, com frente de trabalho prevista para encerrar ainda este mês.

No km 11+600, também acima da Graciosa, no momento são instalados os grampos com injeção de cimento para formar estacas verticais. Logo iniciarão o muro e viga de coroamento, seguidos pela escavação de talude e solo grampeado neste ponto mais alto do local danificado, que deve ser o segundo finalizado em agosto.

No km 11+200, abaixo da pista, estão quase prontos os serviços no primeiro talude, mais próximo ao pavimento, que incluíram concreto projeto sobre telas metálicas. Outros três taludes no mesmo ponto serão trabalhados, devem ser entregues até o final de setembro.

No km 8, estão sendo finalizados os grampeamentos nos três taludes danificados, também acima da pista, e a instalação de drenos. Na sequência serão instaladas as telas metálicas de alta resistência e mais dispositivos de drenagem, finalizando com a hidrossemeadura em setembro.

E no km 7, onde os danos abaixo da pista chegaram a provocar rachadura no pavimento, está em execução o novo muro de contenção, com telas metálicas e concreto projetado, com o local para ser entregue no meio de setembro.

O trecho permanece em operação pare-e-siga do km 7 ao km 8, e do km 11 ao km 12, com a rodovia aberta 24 horas por dia, exceto em caso de chuvas fortes ou períodos prolongados de chuva, quando o trecho é interditado preventivamente. Como os taludes da rodovia continuam encharcados, e ainda não há proteção vegetal nos pontos danificados, estes ficam mais suscetíveis a novos danos durante o andamento da obra.

Uma equipe de mais de 100 colaboradores atua no trecho, com frentes de trabalho diurnas em todos os pontos e frentes noturnos no km 8, km 11+200 e km 12.

AEN

Foto: Rodrigo Felix Leal / SEIL


Compartilhar