Primeiro queijo do Paraná livre de Carbono é de Francisco Beltrão

Queijaria Vidalat
Compartilhar

A partir de agora, quem adquirir uma peça de queijo colonial da Queijaria Vidalat vai perceber um selo diferente. Trata-se do selo verde neutro em carbono, emitido pela Abrarastro (Associação Brasileira de Rastreabilidade de Alimentos). A queijaria fica na Linha Água Vermelha, interior de Francisco Beltrão e é de propriedade da Roseli e do Marildo Capra.

Nesta semana, a produtora rural recebeu a visita do deputado Reichembach (PSD) e da chefe do Núcleo Regional da Seab de Francisco Beltrão, Denise Adamchuk. “Estamos muito felizes com mais esse reconhecimento, que já está nos abrindo portas para o mercado”, comemora Roseli.

A propriedade dos Capra participou de um projeto piloto da Cresol Baser e passou por um check-list de mais de 30 itens para verificar a sustentabilidade da propriedade.

A chefe da Seab explica que a pegada de carbono é calculada a partir de dados como a quantidade de energia consumida, queima de combustível, geração de resíduos, bem-estar animal, entre outros. “São atividades do dia a dia que colaboram com o planeta, ações individuais que geram impactos globais”, completa Denise.

O deputado estadual Reichembach (PSD), coordenador da Frente Parlamentar do Leite da Assembleia Legislativa do Paraná, destaca que o Susaf (sistema que assegura a qualidade sanitária dos produtos em todo o Estado) foi um importante passo para qualificar as queijarias artesanais.

“Estamos entre os melhores produtores de queijo do Brasil e agora o Sudoeste tem o primeiro queijo do estado certificado como livre de carbono. Uma conquista valiosa, que agrega ainda mais valor ao produto e comprova a nossa preocupação permanente com o meio ambiente”, pontua Reichembach.

Sudoeste é destaque

O Sudoeste do Paraná é referência na produção de queijos artesanais de qualidade. Recentemente, nove queijarias da região foram premiadas no concurso 1º Prêmio Queijos do Paraná, criado para valorizar, estimular e fortalecer a cadeia produtiva, seja ela artesanal ou industrial.

Foto: Carine Prolo


Compartilhar