Deputados e população reivindicam obras para acabar com isolamento de municípios do noroeste

Compartilhar

Foto: Valdir Amaral / Alep

Parlamentares e população se uniram na Assembleia Legislativa do Paraná para reivindicar a pavimentação de trecho da PR-218 que liga os municípios de Querência do Norte a Icaraíma e a construção de uma ponte sobre o Rio Ivaí, na região noroeste do Estado. O assunto foi debatido durante a audiência pública realizada nesta terça-feira (11) no Plenarinho da Casa, com a presença de centenas participantes da região. De acordo com os presentes, a reivindicação visa corrigir uma lacuna histórica na integração da região do extremo noroeste do Paraná, que necessita de ligação entre os municípios. Atualmente, o deslocamento é feito por estrada de terra e por meio de balsa.

Durante a reunião, os deputados propuseram a criação de uma Comissão Especial do Poder Legislativo para o acompanhamento dos trâmites da obra. Além disso, os parlamentares vão propor um projeto de lei nomeando o trecho de Rozinei Aparecida Raggioto Oliveira. Conhecida como Dra. Rose, a ex-prefeita de Querência do Norte batalhava pela pavimentação da rodovia. Dra. Rose faleceu em 2021 por complicações causadas pela Covid-19.

O trecho entre Querência do Norte e Icaraíma pela PR-218 tem o total de 54 quilômetros de estrada não pavimentada. A pavimentação é uma demanda muito cobrada pela população, indispensável para o desenvolvimento da região. Além de tornar o caminho mais curto, dizem os moradores, a obra irá beneficiar o escoamento da produção agrícola e garantir mais segurança e conforto para os condutores que trafegam pela região.

De acordo com os participantes da audiência pública, a pavimentação completa da PR-218 e a construção da ponte sobre o Rio Ivaí vão beneficiar não somente os municípios de Querência do Norte e Icaraíma, mas também outras cidades, facilitando a escoação da produção agropecuária.  Além da produção de alimentos, outra questão em pauta é a rica biodiversidade da região, como as áreas de proteção ambiental (APA) de ilhas e várzeas do Rio Paraná e o corredor ecológico do Parque Nacional da Ilha Grande.

Proponente da audiência, o deputado Professor Lemos (PT) afirmou que as obras vão beneficiar duas microrregiões do Estado. “O Rio Ivaí divide o noroeste do extremo noroeste. Icaraíma fica na região de Umuarama e Querência do Norte fica na região de Loanda. A pavimentação asfáltica e as obras da ponte vão encurtar o caminho para população poder ir ao médico, à universidade, mas também para o transporte do que é produzido naquela região. Esta é reivindicação antiga. Há anos a população luta para pavimentar a rodovia e também construir a ponte”, explicou.

O primeiro secretário da Assembleia, deputado Alexandre Curi (PSD), lembrou que a audiência pública suprapartidária tem como principal objetivo corrigir uma lacuna histórica. “Com esta obra, vamos beneficiar os municípios de Querência do Norte, Icaraíma e toda a região, facilitando o escoamento da produção e o incentivo ao turismo. Sei da importância do turismo naquela região, sei da importância de investimentos e infraestrutura para o escoamento da safra e sei que é uma região que tem um grande potencial de crescimento e geração de emprego”, afirmou.

Orçamento        

Para o presidente da Comissão de Orçamento do Legislativo, Luís Claudio Romanelli (PSD), a audiência pública demonstra a força da mobilização pela obra. “A verdade é que nós temos de fazer com que a região noroeste do Paraná possa ser integrada. A rodovia daria um grande diferencial nesta importante região do Estado. Esta obra é grande desafio, pois é são 50 quilômetros de asfalto e uma ponte. No entanto, essa mobilização é fundamental. A ponte sobre o rio Ivaí integra as regiões econômica e socialmente. Já a rodovia é estratégica para integração do Paraná”, comentou.

O deputado Evandro Araújo (PSD), responsável pela relatoria do orçamento do Estado na Assembleia Legislativa, destacou a importância das obras estarem contempladas no Plano Plurianual (PPA) e na Lei Orçamentária Anual (LOA). “A gente assumiu compromisso de colocar a obra no relatório substitutivo. Isso já pode vir do governo, mas se não tiver nós colocaremos no PPA e na LOA. No entanto, nós precisamos da força política de todos para dialogar. Temos o cenário propício para que cada um possa fazer a sua parte, somando esforços pra que possamos conquistar essa obra de uma magnitude enorme”.

Para o deputado Arilson Chiorato as obras significam caminhos mais curtos. “Isso vai impulsionar a economia e o turismo, facilitando, inclusive, o acesso ao Mato Grosso do Sul. Então, esta obra vai mudar para melhor a vida das pessoas. A causa tem nosso apoio total”. O deputado Luis Corti (PSB) concordou. “A construção da ponte e da rodovia vão dar um novo norte para aquela região. É por isso que estamos juntando forças nessa audiência pública, discutindo esse pleito importante. Além de fazer a interligação com o Mato Grosso do Sul, as obras são de suma importância para a economia e, sobretudo, para a melhor qualidade de vida da população”.

Os deputados Gugu Bueno (PSD), Do Carmo (União), Matheus Vermelho (PP), Marcelo Micheletto (PL) e Soldado Adriano José (PP) também manifestaram apoio à causa.

Reivindicação antiga

O município de Querência do Norte é um importante produtor e exportador de arroz irrigado, laticínios e outros produtos agrícolas. Isto justifica a grande circulação de caminhões de carga na região. O prefeito do município, Alex Sandro Fernandes, lembrou que a reivindicação tem mais de 40 anos. “Hoje esta é a obra mais importante não só para o município de Querência, mas para o extremo noroeste, representando desenvolvimento econômico e social”, alegou. A visão é semelhante a do prefeito de Icaraíma, Devair Fabris. Para ele, o esforça conjunto de todos vai permitir com que as obras saiam do papel, beneficiando a população de toda a região.

Agricultor e membro do Movimento Sem Terra (MST), Celso Anghioni vive no assentamento Pontal do Tigre, cortado pela PR-128. Durante a audiência, ele apresentou um relatório com dados sobre a sociedade nos pouco mais de 50 quilômetros da rodovia. Segundo ele, mais de 700 famílias assentadas moram na região, que também contém mais de 200 outras propriedades rurais. O trecho conta ainda com portos e praias de água doce, casas de veraneio, comércios e escolas. “Este verdadeiro diagnóstico é um argumento forte para demonstrar para a sociedade e para todas as forças políticas o potencial que a região tem. Serve para todos saberem o que a gente tem e que está camuflado. É uma região com produção e turismo e que precisa de integração”, reforçou.

Também participaram da audiência pública o prefeito de Marilena, José Aparecido da Silva, o Zé do Peixe, o prefeito de Alto Paraíso, Dércio Jardim Junior, o prefeito de Paraíso do Norte, Carlos Alberto Vizzotto, o prefeito de Mirador, Fabiano Travain, o prefeito de Santa Isabel do Ivaí, Freonizio Valente, além de representantes de Câmaras de Vereadores e da sociedade civil organizada. O diretor de Operações do Departamento de Estadas de Rodagem do Paraná (DER-PR), Rui Assad, participou do encontro.


Compartilhar