Operadoras poderão fomentar a venda de novos atrativos turísticos paranaenses

Compartilhar

Com o objetivo de aumentar o fluxo de turistas nas regiões com potencial de visitação, mas ainda pouco exploradas, a Secretaria de Estado do Turismo (Setu) está fazendo um novo levantamento junto às operadoras de turismo para mapear aquelas que vendem produtos do Paraná.

O trabalho é feito pela Diretoria de Qualificação, Promoção e Inovação Turística, a partir da participação da Setu na 37ª Feira da União Gaúcha dos Operadores e Representantes de Turismo (Ugart), em Porto Alegre (RS), no mês de março.

A primeira sondagem ocorreu em 2016, durante a concepção do plano “Paraná Turístico 2026”, importante instrumento pactuado entre o poder público, iniciativa privada, sociedade civil do Estado e suas respectivas Regiões Turísticas.

Durante a feira em Porto Alegre, consolidada no trade turístico, a coordenadora de Marketing e Inovação Turística da Setu, Ana Paula Soliman, apresentou as regiões turísticas paranaenses ainda pouco conhecidas em rodada de negócios com expositores e operadoras turísticas.

O secretário estadual do Turismo, Márcio Nunes, ressalta que a partir da constatação de que há interesse pelas operadoras em ampliar a venda de atrativos paranaenses, a Setu fará uma interlocução com as regiões e planeja uma série de ações com as operadoras. “Está prevista também a realização de capacitações, fantours e visitas técnicas para dar visibilidade e expandir as possibilidades de negócios”.

LEVANTAMENTO – Com base nos dados do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), a coordenadoria está apurando quais agências ofertam o serviço de receptivo nas 19 regiões turísticas do Estado. Este levantamento será levado ao conhecimento das operadoras que necessitam do serviço.

Atualmente, 1.712 agências estão registradas no Cadastur, porém é necessário identificar aquelas que executam serviço de receptivo. A expectativa é que o levantamento seja concluído ainda no primeiro semestre desse ano.

“Após essa identificação, será possível abrir um canal de diálogo diretamente com as operadoras e agências de receptivo e aumentar a interação do mercado com as estruturas existentes”, diz o diretor de Competitividade, Marketing, Qualificação e Inovação Turística da Paranatur, Fábio Skraba. As próximas ações estão sendo pensadas e deverão ser executadas em parceria com as instituições governamentais e, ainda, com o trade de cada localidade.

A coordenadora Ana Paula Soliman lembra que é preciso desenvolver as demais regiões e qualificar as informações. “Dentro dessa fatia, muitas operadoras não conhecem o produto e o potencial paranaense. É essa mensagem que a proposta carrega. Ofertar ao mercado produtos turísticos atraentes e preparar aqueles que estão iniciando”, afirma.


Compartilhar