Médico anestesista que abusou de gestante é preso em flagrante no RJ

Imagem: Reprodução

Na madrugada desta segunda-feira (11), Giovanni Quintella Bezerra, médico anestesista de 32 anos, foi autuado em flagrante e preso por estupro de vulnerável, no Rio de Janeiro.

O flagrante aconteceu no Hospital da Mulher Heloneida Studart em Vilar dos Teles, São João de Meriti, município na Baixada Fluminense. A equipe de enfermeiras decidiu gravar discretamente e sem que Bezerra soubesse, o procedimento de uma cesariana, pois já estavam desconfiadas da conduta do anestesista.

O crime aconteceu na sala de cirurgia, com demais profissionais da área da saúde no mesmo recinto e com a vítima passando pela cesariana para dar à luz.

No vídeo a paciente está deitada na maca, sedada. Do lado esquerdo do lençol, que é utilizado em cirurgias, a equipe do hospital realiza a cesariana. Já do lado direito do lençol, Giovanni abre o zíper da calça, puxa seu órgão genital para fora e o introduz na boca da vítima.

O crime dura por 10 minutos. Na gravação é possível ver que, enquanto Giovanni violenta a gestante, ele tenta se mover pouco para que ninguém perceba nada. Após terminar de cometer o crime, ele pega um lenço de papel e limpa a vítima para esconder qualquer vestígio.

Momento em que a Polícia Civil autua o anestesista em flagrante / Fonte: Metrópoles

E acrescentou: “ontem, no dia 10, foram três cirurgias. Na segunda cirurgia houve um problema com o bisturi e ela [a integrante da equipe] teve que verificar que problema era aquele e, então, se deparou com o médico com o pênis exposto. Mas manteve a calma, como se não tivesse visto, e eles, para não ficar numa situação de uma pessoa só relatando, decidiram, em conjunto, tentar registrar imagens, tentar documentar as ações do investigado na outra cirurgia”.

Após a filmagem, a equipe comunicou a diretoria do hospital, que acionou a Polícia Civil. O médico foi preso em flagrante e será encaminhado para a audiência de custódia.

Fonte: instagram

Formado em medicina desde 2017, Bezerra se formou como anestesista em abril de 2022, e ao longo desses anos passou por pelo menos dez hospitais públicos e privados do Rio de Janeiro.

Quintella compartilhava procedimentos de sua rotina e da vida de médico em uma conta do instagram, desde novembro de 2021. Internautas revoltados com o crime se expressaram nos comentários da rede social.

A pena para quem comete o crime de estupro de vulnerável varia entre 8 e 15 anos de prisão.

A direção do Hospital da Mulher de Vilar dos Teles, informou que abriu uma sindicância interna e notificou o Cremerj. A SAERJ (Sociedade de Anestesiologia do Estado do Rio de Janeiro), a Fundação Saúde do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Estado de Saúde repudiaram em nota a conduta de Bezerra.

O Cremerj (Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro) abriu um processo para expulsar Giovanni Quintella Bezerra.

Com informações da Agência Brasil