Copel informa que mais de 50 mil unidades estão energia em Maringá. Prefeitura ainda tenta reorganizar a cidade

O temporal da madrugada de sábado, 23,  ainda deixa mais de 50 mil residências e estabelecimentos comerciais sem energia em Maringá. O balanço divulgado pela Copel no início da tarde mostra que a cidade ainda é uma das mais afetadas com os estragos da chuva. São 54 mil enquanto que em Paiçandu, 28 mil e Mandaguaçu, 13 mil.

A Copel reforça a orientação de se manter distância de situações que possam oferecer risco, como fiação rompida ou postes quebrados. É possível comunicar a falta de luz pelo aplicativo da Copel, site www.copel.com, e pelo telefone 0800 51 00 116. Ou encaminhando uma mensagem de texto (SMS) para o número 28593, com as letras SL e o número da unidade consumidora.

Trabalho
As equipes da Prefeitura de Maringá mantém o trabalham intenso para desobstruir as ruas da cidade. A força-tarefa já realizou a varredura na Zona 2 e 4. A Secretaria de Mobilidade Urbana também já realizou a desinterdição de alguns pontos da Avenida Teixeira Mendes. As equipes também trabalham na Avenida Parigot de Souza com a Avenida Tiradentes.

Aqueles que puderem ajudar também podem recolher pequenos galhos, que estão longe da rede elétrica, e encaminhar para a Pedreira Municipal. A pedreira fica na Estrada 200, PR 317, Km 90, saída para o município de Astorga.

A prefeitura também pede que as empresas que tenham caminhões ou máquinas ajudem voluntariamente na limpeza das ruas. A colaboração de todos neste momento é fundamental. As empresas podem entrar em contato com o Coordenador do Gabinete de Gestão de Crise, secretário de Segurança, Ivan Quartaroli, pelo telefone (44) 98825-8980, ou com o secretário de Limpeza Urbana, Paulo Gustavo Ribas, no (44) 98806-3483.

No total, mais de 400 pessoas estão envolvidas diretamente, nas ações de recolhimento de galhos e árvores e desobstrução de vias em toda a cidade. Os trabalhos estão sendo feitos, primeiramente, nas vias de grande fluxo, dentre as que foram mais afetadas e apresentam maiores pontos de bloqueio. As equipes estão trabalhando desde às 4h da madrugada e não haverá paralisação até o atendimento de todas as chamadas.

Segundo o Instituto Simepar, durante a madrugada deste sábado a passagem de uma frente fria provocou rajadas de vento de até 79,9 km/h. Também houve muitas descargas elétricas e chuva de granizo em algumas regiões do Paraná. Foi um dos piores temporais dos últimos anos, o que provocou a queda de árvores e fios elétricos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.