Principal testemunha do caso da bailarina Magó morre aos 63 anos em Maringá

23 de agosto de 2021
Magó morreu em 2020 em Mandaguari/ Foto - Arquivo

Foi sepultado ontem em Mandaguari, o corpo de Lindalva Leonor dos Santos, de 63 anos. Ela era considerada a principal testemunha do caso da bailarina Maria Glória Poltronieiri Borges, a Magó, assassinada aos 25 anos – no dia 26 de janeiro de 2020 -, após ser vítima de violência sexual em uma chácara na zona rural de Mandaguari.

Lindalva era a proprietária da área e desde que o corpo foi localizado próximo a uma cachoeira, era apontada como uma das principais testemunhas do caso. O depoimento dela estava marcado pela Justiça para o dia 24 de setembro e ela seria ouvida pela defesa de Flávio Campana (apontado pela polícia como o principal suspeito do crime) e também pela acusação.

Lindalva estava internada no Hospital Santa Casa de Maringá onde fazia um tratamento de saúde.