Comprar imóveis será sempre um bom investimento?

imóveis investimento
Compartilhar

Acredito que investimentos imobiliários – residenciais ou comerciais, para locação, moradia ou revenda – serão sempre um bom negócio, se realizados de forma correta. Isso porque cada caso é peculiar e deve ser cuidadosamente avaliado, como por exemplo: ficar atento aos detalhes que envolvem o imóvel, o condomínio, a localização, quanto você pode aplicar, qual a projeção de lucro, questões contratuais, etc.

Tudo isso sempre em conformidade com duas questões que considero de grande importância: a situação econômica do país e a do mercado imobiliário no momento da negociação. Somados a uma boa análise e combinação de fatores favoráveis, não há como fazer um mau negócio, independente do “mau tempo”.

Ainda estamos em um momento de crise pandêmica e, até a economia voltar a crescer, na maioria dos casos, o preço dos imóveis continuará a subir menos que a inflação. Por isso, mais do que fazer as contas, é preciso saber fazer as contas. E com uma boa assessoria de investimentos imobiliários de sua confiança, será possível conhecer de forma mais profunda os detalhes do mercado e, consequentemente, saber se está indo numa direção mais segura.

Abaixo, cito algumas dicas e regras. São os cuidados necessários para que você, na compra por um imóvel, fuja das armadilhas iniciais e inicie o processo de compra de forma segura. Aí sim podemos dizer que você estará realizando um bom investimento, independente das intempéries do mercado.

  1. Aprenda a avaliar um imóvel

Primeiro, existem muitas formas de avaliar o preço de um imóvel e isso depende do seu objetivo: se você quer estipular um valor preciso porque vai colocar o seu imóvel à venda; se você quer ter apenas uma noção superficial sobre o valor do seu patrimônio; ou se você quer pesquisar imóveis para comprar, seja para realizar um sonho da casa própria ou para investir. Segundo, é preciso um profissional que melhor entende do assunto: um assessor de investimentos imobiliários.

  1. Acesse sites que ajudam a calcular o valor do imóvel

Se você quer apenas ter uma noção do valor do seu imóvel, a melhor opção é procurar na internet sites que possuem ferramentas para que os usuários encontrem estimativas sobre o valor exato da propriedade. Na maioria dos casos, basta informar detalhes como localização, número de quartos e vagas. e o sistema fornece uma estimativa superficial do preço de imóveis similares, em acordo com o mercado local. Mas, além de superficial, nem todos os estados disponibilizam este tipo de ferramenta.

  1. Pesquise valores similares

Procure saber os preços dos imóveis à venda na mesma rua, no seu próprio edifício ou em endereços próximos. Isso irá te ajudar a ter uma ideia de valor. Pesquise cerca de 8 a 10 ofertas do mesmo tamanho, com histórico semelhante e padrão arquitetônico parecido. Em seguida, monte uma estimativa.

  1. O que influencia no preço

Localização, tamanho, estado de conservação, área de lazer e questões de mercado costumam ser os principais fatores que influenciam no preço de um imóvel. Detalhes como o lado do apartamento, se o sol é nascente ou poente e, o andar também costumam fazer a diferença. Portanto, ao pesquisar imóveis, é necessário ficar atento a esses detalhes, mesmo que alguns deles, como o lado do apartamento ou andar, pareçam irrelevantes.

Curva de valorização – Outra dúvida dos clientes que buscam a minha consultoria diz respeito à seguinte questão: se o imóvel será sempre valorizado. Nem sempre. Há períodos de crise e, quando não, imóveis valorizam em média 7% ao ano. No entanto, como em todo mercado, há elementos que se destacam positivamente e outros negativamente.

Um padrão que tem sido observado revela que os preços dos imóveis constroem ciclos longos e contínuos – média de 15 anos. Outro detalhe importante e que também impacta no preço dos imóveis é que, quem compra é muito influenciado pelas alterações e tendências recentes nos preços dos imóveis. E essa influência costuma ser maior inclusive do que detalhes relacionados à situação econômica, como o PIB e as taxas de juros, por exemplo. Além disso, destaco os seguintes fatores: um forte crescimento econômico estimula a demanda por imóveis; baixas taxas de juros incentivam os compradores; e compradores são influenciados por oscilações de preço futuros.

Outros fatores relevantes são: os preços dos imóveis tendem a acompanhar a inflação. Tradicionalmente, quedas de preços são grandes em economias com graves desequilíbrios financeiros, como aconteceu recentemente no mercado de bolsa de valores e que, porém, em nada atingiu o mercado imobiliário – isso remete segurança!

Conclusão

Como assessor de investimentos imobiliários, eu costumo dizer que os principais detalhes que precisam ser analisados para a realização de um bom investimento imobiliário são:

  • se você pretende pagar à vista;
  • quanto você pretende dar de entrada;
  • quanto do imóvel será pago utilizando o FGTS;
  • preço do imóvel X quanto você tem para investir;
  • se os imóveis no local onde você mora estão sendo valorizados ou se a localização tem potencial de valorização;
  • comparar os custos com a projeção de retorno financeiro – em minha opinião, se o custo for maior ou igual, o negócio não será bom.

Além disso, tomando as precauções necessárias, é preciso lembrar que o retorno acontece continuamente e, portanto, sabedoria e constância são as almas desse tipo de negócio.

Foto: Freepik


Compartilhar