Thor: Amor e Trovão – Crítica e Easter Eggs

Thor

O novo filme da Marvel, Thor: Amor e Trovão chega aos cinemas com muita diversão, romance e referências. Confira a Geek Post para saber mais!
Foto: Divulgação / Marvel

Vida Longa e Próspera!

Gente, se você me conhece um pouquinho sabe que eu acho o Chris Hemsworth um verdadeiro deus: o cara além de ser mega gato, é um ator que casou perfeitamente a personalidade do deus do trovão Thor, não é atoa que o personagem está tão em alta.

Então quando saiu o filme, claro que corri para assistir, e hoje vou falar sobre minhas impressões do filme, que adianto para vocês, foi muito bom.

Primeiramente vamos entender que o Thor: Amor e Trovão é uma continuação direta do último filme da franquia, Thor: Ragnarok, então se você pensa em ver o deus do trovão mais sério como nos primeiros filmes, sinto lhe informar que não vai ver – ele se tornou um personagem mais engraçado e mais “humano”.

Esse filme é como se fosse um spin off do atual arco do MCU. Embora tenha seus reflexos e easter eggs do universo de filmes da Marvel, o longa é voltado mais para o entretenimento que avançar a saga do deus no MCU. Nesse filme ele se despede dos guardiões das Galáxias, e embora haja boatos que ele vai estar no 3 filme dos guardiões, o diretor James Gunn esclareceu que Thor não estará em Guardiões das Galáxias: Volume 3.

Foto: Marvel

O longa traz um fechamento do arco amoroso com a Jane Foster de maneira sensacional, trazendo ela como a poderosa Thor, que diga-se de passagem a atriz interpretou muito bem. E a explicação para ela se tornar a poderosa Thor, convenceu, foi bem bonitinho.

Gorr o carniceiro dos deuses foi um vilão excepcional para esse filme, eu queria ter visto mais dele nas telas, realmente o Christian Bale é um ator fenomenal, completamente fora da curva, a atuação dele faz você entender e sentir a dor do personagem, sou fã de carteirinha desse ator.

Foto: Marvel

Porém, nem tudo são flores, embora o filme cumpra seu papel como um longa para entreter, o excesso de piadinhas, em minha opinião distância, o telespectador. Teve algumas piadas engraçadas e os bodes de Thor gritando foram ótimos, mas venhamos e convenhamos, deu uma passadinha do limite, acabou se tornando um anti clímax em certas cenas.

Em geral o filme agradou, a história foi bem costurada, teve romance, cenas de ação, um excelente vilão e o ápice do filme, o ator que interpreta Thor (Chris Hemsworth) pelado, com uma tarja de censura, mas mesmo assim…

Vamos então aos Easter Eggs do filme: Na cena em que o amigo de pedra de Thor (Korg), explica que para os seres de sua raça fazerem filhos, eles precisam ficar de mãos dadas em um vulcão e cantar uma canção, quando ele resolve fazer um filme com outro de sua raça chamado Dwayne, uma referência ao ator Dwayne “the Rock” Johnson.

Foto: Marvel

No final do filme, na luta de Thor e Jane contra Gorr podemos ver algumas estátuas de entidades cósmicas da Marvel, e são elas: Morte, Eon, Infinidade, Tribunal Vivo e o Vigia.

Outro easter egg, e esse é bem nostálgico, é quando no começo do filme Thor sobe no machado Rompe Tormentas e sai voando como se fosse uma vassoura mágica, nessa hora na dublagem em português ele diz “e lá vamos nós” uma referência ao desenho Pica Pau, na cena em que a bruxa sobe na vassoura e diz essa mesma frase para voar.

Por último mas não menos importante, a referência ao Jean-Claude Van Damme, no começo do filme, quando o deus do trovão está lutando para ajudar uma raça de seres azuis a reaver seu templo, Thor para fazendo uma abertura total contra dois veículos, uma clara referência ao filme “O Grande Dragão Branco” de 1988, e que depois Jean-CLaude fez um comercial de veículos fazendo a mesma pose do icônico filme:

Foto: Marvel

Que a força esteja com vocês!