O melhor jogo de todos: o RPG de mesa!

O RPG é um jogo onde os jogadores seguem e interagem com uma história de acordo com suas ações e imaginação. Saiba mais sobre o RPG de mesa!

Vida Longa e próspera!

Fala meu povo e minha pova, antes de falar do RPG de mesa, quero falar que hoje é minha 50º matéria aqui no Maringá Post! Gostaria de agradecer muito a esse jornal que me deu a oportunidade de escrever e me comunicar com todos vocês.

Foram mais de 100.000 (cem mil) palavras escritas até agora, foi muito legal o caminho até aqui, sinto que cresci e peguei gosto por pesquisar e escrever. Gostaria de agradecer a todos do Maringá Post, o João Rafael Garcia (@joaorafaeltg) quem me chamou pra esse projeto incrível, o editor-chefe do jornal Ronaldo Nezo (@ronaldonezo), as editoras Paulla Mello (@Paulla0903) e Stephanie Masson Cardozo (@miss_stephaniemasson) que tem muuuita paciência com esse colunista que dá um trabalhão, obrigado pelo carinho com minhas matérias, à minha namorada que sempre me dá ótimas ideias, lê minhas matérias e me apoia em tudo Bruna Maciel Buzon (@bu_hh).

E muito MUITO obrigado a todos vocês que leem essa coluna desse nerd que ama isso aqui, e que venham muitas outras matérias!

RPG DE MESA

Agora que acabei de rasgar de seda, vamos ao assunto da semana: eu amo RPG de mesa, joguei por muitos anos e diversos sistemas, vou explicar um pouquinho o que é esse jogo com o melhor gráfico de todos (sua imaginação) e por que ele é tão apaixonante.

RPG ou “Role Playing Game” seria algo como interpretação de um personagem, é um jogo onde se tem um “Mestre” que narra a história, e os jogadoras interagem com esse enredo modificando a trama de acordo com a interpretação de seu personagem e imaginação.

Imagina a seguinte cena, o Mestre descreve uma clareira gramada, com sons, cheiros e todo o visual, em seguida conta que um Trol surgiu da floresta na clareira, o que vai acontecer em seguida, cabe exclusivamente aos personagens. Se vão lutar com esse monstro, como vão fazer isso, vão correr, chorar, ou fingir de morto, tudo isso são os jogadores que vão ditar.

Ah, mas Gustavo, sempre que vejo algo sobre RPG de mesa, noto trocentos dados de tudo que é formato, deve ser muito complicado. O RPG realmente demanda estudo para conhecer as regras, porém não é algo difícil, os dados são para diversas coisas, uns para dano de magia, dano de arma, para acrescentar o elemento aleatoriedade, ou mesmo ditar seu sucesso ou falha em sua ação.

Vamos exemplificar para facilitar, se eu quero jogar uma pedra no olho de um Ciclope de 5 metros de altura, isso não é fácil certo? Por isso que, com base nos atributos de seu personagem, na “ficha”, somados ao resultado do dado, vai ditar se você consegue acertar ou não a pedra onde quer.

A ficha de personagem é elaborada de acordo com o sistema do RPG, raça, classe e etc. Um guerreiro ORC parrudo geralmente vai ser forte e hábil na luta, enquanto um elfo mago tende a ser inteligente e não se envolver em lutas corporais, entendeu?

O RPG surgiu nos Estados Unidos em 1971 com a criação do The Fantasy Game, o qual foi batizado posteriormente de Dungeons & Dragons (D&D para os íntimos), que foi o primeiro sistema de RPG e usa o dado de 20 lados (D20) para acrescentar o fator aleatoriedade nas “Campanhas” de RPG, chamado de “sistema D20”.

Esse é o sistema mais famoso, por ser o primeiro e um jogo de fantasia medieval “a la” senhor dos anéis. Porém, hoje em dia, existem sistemas pra tudo que é gosto, tem alguns que se assemelham mais à realidade, que é o caso do “Gurps”, tem alguns mais voltados ao terror como “Vampiro a Máscara” e gostaria de chamar a atenção para um sistema de RPG brasileiro que está excelente, chamado “Tormenta”, que é muito parecido com o D&D.

O sistema consiste nas regras para o RPG poder acontecer, quantos pontos de vida cada personagem terá, quanto de ataque, defesa etc. E essas informações estão nos livros de regras, algumas vezes em apenas um livro, outras separadas em vários livros, por isso que tem que estudar as regras para jogar.

No final das contas, as regras são apenas para termos base, como qualquer outro jogo, o que conta mesmo, é juntar a galera para se divertir, e isso o RPG de mesa tem de sobra, risadas e diversão. Se nunca jogou, te garanto que vai amar!

Que a força esteja com vocês!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.