Bonjour, Paris!

Nossa nova viagem começa na capital francesa, a famosa cidade do amor: Paris. Venha descobrir os melhores lugares para visitar.
Foto: Divulgação / Prefeitura de Paris

Ah, Paris!

Nosso próximo destino dispensa apresentações, Paris realmente faz jus à sua fama. Um conjunto de romantismo, arte, cultura, culinária e muita patisserie.

Cheguei no aeroporto de Paris e optei pela forma mais comum de ir até o centro, o metrô. Escolhi comprar o passe único para o hotel porque ainda não havia decidido qual transporte utilizar nos outros dias, mas irei falar mais sobre isso depois.

O hotel estava localizado cerca de 2km do Arco do Triunfo, e pós o check-in, já montei o roteiro até lá, e sai caminhando, pois gosto de ir conhecendo o local e parando onde acho interessante.

Arco do Triunfo / Imagem: Freepik – Foto criada por @jcstudio

Chegando no Arco do Triunfo, atravessei pelo acesso subterrâneo até o centro do monumento que representa as vitórias do exército Francês, sob liderança de Napoleão Bonaparte. Se você quiser comprar o ticket e encarar mais de 200 degraus, pode subir no Arco e apreciar a vista da via mais bonita e conhecida de Paris, a Champs Élysées. Preferi apreciá-la por terra. Segui a pé pela Champs, recheada de lojas de luxo até a Praça da Concordia, a segunda maior da França, onde encontra-se o monumento dado pelos Egípcios aos franceses, o Obelisco, datado do século IV e trazido a França em 1.833. Talvez o mais antigo de Paris.

Obelisco – Imagem: Freepik – Foto criada por @user17125898

Após essa bela decida, enfim, encontrei o Rio Sena. Na caminhada por suas margens já pude avistar meu destino final deste dia, a bela Torre Eiffel. É claro que já no primeiro dia teve muitas fotos nesses pontos turísticos imperdíveis de Paris.

Torre Eiffel / Imagem: Freepik -Foto criada por @vwalakte

E nessa longa caminhada que escolhi meu meio de locomoção dos próximos dias. Vi vários pontos de retirada e entrega de patinete elétrico e bicicletas para locar, o que é super simples, mas precisa de internet e baixar o App das marcas disponíveis e fazer seu cadastro com um cartão de crédito para pagamento. Os valores são bem convidativos, sendo comparado ao custo do metro na cidade, pois os trajetos são custos nas regiões mais badaladas da cidade luz.

A opção pelo patinete elétrico me permitiu conhecer restaurantes e lugares maravilhosos mais afastados dos pontos turísticos que, possivelmente teriam passado despercebidos se optado pelo metrô. A cidade está bem estruturado para isso, com faixas e ruas exclusivas para as bikes e patinetes e com vários pontos de estacionamento. Mas, se você não quiser caminhar tanto quanto eu, pode comprar o cartão de utilização ilimitado por dias do metrô que vale bem a pena. Aconselho a já viajar com o app “Metro Paris” baixado para você buscar as estações mais próximas ao seu destino e quais as paradas e trocas de linhas irá fazer durante o percurso, ele funciona bem sem acesso a internet.

Já “motorizado”, o segundo dia se inicia pela belíssima Basílica Sacre Coeur, Pantheon, Notre Dame, Museu du Louvre, terminando o dia no Jardins de Luxemburgo, onde se encontra a estátua da liberdade. Alguns dizem ser a réplica, outros que é a original. Não importa, ela é linda como a mais famosa, mas bem pequena.

Jardins de Luxemburgo – Foto: Trip Advisor

No dia seguinte, seguimos o passeio de patinete, mas até outro ponto imperdível, a galeria Lafayette, grande loja de departamento, com artigos de luxo de todo tipo, para mulheres e homens, altíssimo padrão, mas pra mim, fui apenas para conhecer. Saindo, quase em frente temos a Ópera de Paris, com incríveis cafés e restaurantes, que são uma parada obrigatória para um descanso.

Café Parisiense – Foto: Trip Advisor

Na próxima semana, seguimos nosso roteiro, pois temos muito mais o que falar de Paris, até lá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.