Quer um Gelato de pistache? ‘Amor & Gelato’, da Netflix, é a dica do Paladar

Amor & Gelato, filme que desembarcou no catálogo da Netflix na quarta-feira, 22, é um amontoado de clichês e absurdos que só poderiam acontecer em uma trama adolescente romântica. Dirigido e roteirizado por Brandon Camp (do simpático Benji), o filme é adaptação do livro best-seller de Jenna Evans Welch e conta a história de Lina (Susanna Skaggs), uma garota que vai viajar para a Itália no momento mais doloroso de sua vida.

Afinal, sua mãe acabou de morrer e ela está fazendo essa viagem sozinha apenas para cumprir um último desejo da matriarca. Além de encontrar histórias perdidas de sua mãe, que passou uma longa temporada de sua vida em terras europeias, a Toscana também é cenário de um processo de redescoberta. A personagem, saindo de sua zona de conforto, acaba encontrando duas paixões: Lorenzo (Tobia De Angelis) e Alessandro (Saul Nanni).

É aí que surge o complicador do filme, com a personagem tentando descobrir qual caminho deve seguir. Em momento de tanta confusão na mente e coração, o que pode enfim ajudar?

Gastronomia e o amor

“Qualquer coisa fica melhor depois de um gelato”, diz Lorenzo para Lina, em um momento que as dúvidas martelam na cabeça da personagem. Ainda que seja apenas um entre muitos caminhos, a gastronomia parece ser o principal ponto de contato da personagem de Susanna Skaggs com algum resquício de definição. Alessandro é um jovem rico, seguindo as orientações do pai. Já Lorenzo é apaixonado pela gastronomia e pela boa comida.

O gelato de pistache, que dá nome ao filme e motivo essa fala de Lorenzo, é a alma de Amor & Gelato. Artesanal, ele é feito seguindo uma tradição antiga da família do rapaz italiano. Com isso, nem mesmo Lina pode saber quais ingredientes são colocados na receita — em especial um último, ultrassecreto. “Baunilha? Canela?”, questiona a jovem, enquanto Lorenzo é continuamente repreendido pela matriarca que o ajuda na cozinha.

Ainda que essa sobremesa seja o que há de mais interessante em termos gastronômicos no filme, não é a única. Difícil não salivar na cena em que Lina, seguindo recomendações da mãe em um diário, come um delicioso macarrão a Putanesca. E não dá para esquecer do maritozzo, um doce típico de Roma que Lina e Alessandro comem escondidos.

Enquanto Estômago fala da comida como forma de poder, Amor & Gelato mostra como a comida é uma forma de conquista. Lorenzo tem habilidades na cozinha e, com isso, investe em tudo para chamar a atenção de Lina. Alessandro não fica atrás e, conhecendo segredos da Itália, vai mostrando comidas típicas da região. Ainda há a mãe, essa personagem invisível, que dá dicas para a filha, mesmo sem saber, por meio de seu diário já esquecido.

‘Amor & Gelato’ é bom?

Apesar das boas cenas de comida e algumas sacadas divertidas, Amor & Gelato não passa muito disso. É uma comédia romântica juvenil que, como Para Todos os Garotos que Já Amei e A Barraca do Beijo, não tem pretensões de ser algo realmente disruptivo. Tudo bem que as belas imagens da Itália saltam aos olhos, mas não são o bastante para salvar.

No geral, as atuações também ficam no mesmo nível dessas outras produções adolescentes, transitando entre o regular e o bom, com os atores tendo alguma dificuldade nas cenas com mais emoção. O problema mesmo fica no roteiro: é incompreensível essa viagem, e as consequências dela, logo após a morte da mãe da personagem.

No entanto, ultrapassando essas barreiras, é possível soltar alguns suspiros e embarcar nessa história que já conhecemos, mas que ainda pode apaixonar. Ainda mais se nos deixamos levar pelo gelato, pelo maritozzo, pelo macarrão… A própria Toscana já foi tema de filme da Netflix em 2022. E, mesmo assim, não cansa de surpreender e empolgar.

Estadão Conteúdo