Encontro Estadual reúne 1,5 mil cooperativistas em Maringá

Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses
Compartilhar

Ao fazer sua saudação em nome das cooperativas anfitriãs do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, promovido pelo Sistema Ocepar na sexta-feira (1/12) em Maringá, o presidente do Conselho de Administração da Cocamar, Luiz Lourenço, deu as boas-vindas aos 1,5 mil participantes e disse que o cooperativismo praticado no Paraná é um modelo sempre muito elogiado em outros estados.

“Os cooperativistas paranaenses são muito bem servidos e isso chama atenção em outras regiões do país, onde produtores sonham contar com estruturas semelhantes e os serviços de apoio oferecidos”, destacou.

Realizado no Paraná Expo, o Encontro contou com a participação, na abertura, do governador Carlos Massa Ratinho Júnior e de várias lideranças políticas, além de dezenas de dirigentes do setor, entre eles o presidente executivo da Cocamar, Divanir Higino, e os superintendentes Leandro Cezar Teixeira e Alair Zago (que também preside a UniTI, com foco em tecnologia de informação). Em seu pronunciamento, o governador anunciou a liberação de R$ 1 bilhão para que as cooperativas invistam em estruturas de armazenagem e industriais.

Os cooperados e familiares que prestigiaram a realização, representaram cerca de 50 cooperativas de diferentes ramos de todo o estado, entre elas a Cocamar, e que conduzem as mais diversas atividades agrícolas e pecuárias.

Ao discursar, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, apresentou números que demonstram a grandeza do segmento cooperativista estadual. São 225 organizações em sete ramos e, segundo ele, uma das razões para o sucesso do sistema no Paraná está no planejamento estratégico que é elaborado desde a década de 1970.

Sobre o faturamento do conjunto das cooperativas paranaenses, que deve passar de R$ 200 bilhões em 2023, ele lembrou que em 2015, quando o segmento faturava R$ 50 bilhões e se falou em dobrar o montante até 2020, algumas lideranças afirmaram que seria muita ousadia. No entanto, não apenas foram alcançados R$ 115 bilhões em 2020, como a meta de dobrar o faturamento até 2025 está sendo alcançada com dois anos de antecedência. “A previsão neste ano é de um resultado líquido de R$ 8,5 bilhões”, acrescentou.

Só o segmento agro acrescentou mais 15 mil novos cooperados neste ano, sendo que as 62 cooperativas desse setor, ainda de acordo com Ricken, absorvem 64% da safra estadual e por 45% da produção de proteína animal. “Temos 142 agroindústrias instaladas no estado e seis para inaugurar”, ressaltou, ao lembrar que atualmente 48% do faturamento do cooperativismo paranaense vêm da área agroindustrial.

“Temos R$ 6,5 bilhões em investimentos em novas estruturas, parte para reduzir o déficit de armazenagem de 10 milhões de toneladas”, mencionou o presidente da Ocepar, ao citar que são gerados 150 mil empregos diretos no total com pelo menos 10 mil vagas em aberto em diferentes áreas.

Por outro lado, são 54 cooperativas de crédito que, no Paraná e outros estados, receberam 360 mil novos associados neste ano. E, em mais de 100 municípios, só operam agências de cooperativas de crédito.

Completando, Ricken falou sobre o avanço do programa de educação política que vem sendo realizado junto às famílias de cooperativistas em todo o estado, o qual, já no primeiro ano, conseguiu reunir 1 milhão de participantes por meio do aplicativo WhatsApp, número que saltou para 2 milhões nas últimas eleições.

“Acolhemos candidatos à Câmara Federal e ao Senado que se proponham, documentalmente, a defender as causas do cooperativismo”, explicou. Dos 34 candidatos que se comprometeram a trabalhar pelo setor, 15 foram eleitos em 2022.

Foto: Divulgação


Compartilhar