Regiões universitárias apresentam maior incidência de casos de sífilis; Prefeitura conscientiza comunidade

sífilis
Compartilhar

Por Murillo Saldanha / PMM

A Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Saúde, conscientiza a comunidade sobre os cuidados para prevenção da sífilis. Neste ano, entre janeiro e outubro, foram registrados 445 casos. O número é maior do que o do ano passado inteiro, quando foram 434 casos.

O município alerta sobre casos de sífilis em regiões universitárias. As regiões da Vila Esperança, Jardim Aclimação e Zona 7 apresentam a maior incidência de casos registrados na cidade.

Conforme levantamento da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, a Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Esperança registrou o maior número de casos de sífilis na cidade, com 60 notificações. A UBS é responsável por 13% do total de casos da cidade. Em seguida estão as UBSs Aclimação, com 29 casos, e Zona 7, com 27. Para reduzir o número de notificações, o município tem ampliado as ações de conscientização nessas regiões, principalmente entre os universitários.

Na quarta-feira, 22, a Prefeitura de Maringá promoveu conscientização sobre sífilis para alunos da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Equipes da Secretaria de Saúde orientaram a comunidade acadêmica sobre a prevenção da doença e realizaram teste rápido gratuito.

“Precisamos levar a saúde e nossos serviços para os lugares em que as pessoas estão. A ação na UEM teve como objetivo atingir a comunidade daquela região, que é composta majoritariamente por universitários, reduzindo o número de casos e agravamento da doença”, diz o secretário de Saúde, Clóvis Melo.

A sífilis é uma infecção bacteriana transmitida por relação sexual sem preservativo com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto. O uso de preservativo é a medida mais importante de prevenção da sífilis. Em casos de sintomas ou suspeita, a orientação é procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima. Todas as UBSs realizam testagem para sífilis.

A sífilis tem tratamento e cura. No entanto, o paciente pode ter uma nova infecção, o que reforça a importância dos cuidados para prevenção. “A informação e a proteção são duas ferramentas importantes para reduzirmos o número de casos. Precisamos superar os tabus e focarmos na prevenção da doença”, destaca o secretário de Saúde.

Nesta sexta-feira, 24, a Prefeitura de Maringá realizará capacitação sobre sífilis para profissionais e alunos de cursos de graduação da área da saúde. O objetivo é orientar sobre formas adequadas para atendimento e diagnóstico da doença, além dos cuidados para prevenção. A capacitação será às 8h, no Auditório Hélio Moreira.

Foto: Rafael Macri / PMM


Compartilhar