Maringaense relata frustração com adiamento de show de Taylor Swift no Rio: ‘Fomos informados já dentro do Estádio’

Compartilhar

A fã, que organizou a viagem com meses de antecedência, diz que conheceu pessoas de várias regiões do Brasil que não puderam ficar para a apresentação reagendada, que ocorrerá nesta segunda-feira (20).

Por Victor Ramalho

Foram meses de antecedência e planejamento para uma noite especial. Amanda (nome fictício), jovem de 25 anos de idade, deixou Maringá, onde reside e trabalha, para viajar ao Rio de Janeiro, onde acompanharia o show da cantora Taylor Swift que estava agendado para o último sábado (18).

A apresentação, no entanto, foi cancelada minutos antes do início previsto e já com milhares de fãs dentro do Engenhão, Estádio do Botafogo onde o show iria ocorrer. Amanda estava entre as fãs que ficaram sabendo do adiamento já dentro do Estádio.

“Ao longo do dia, havia um burburinho, pessoas comentando sobre um possível adiamento (do show), mas não havia nada oficial. Então seguimos com as atividades normais, fomos ao Engenhão como se o show fosse ocorrer. Eu já estava dentro do Estádio, assim como milhares de pessoas. Lá dentro, algumas pessoas começaram a comentar que havia uma nota no perfil da Taylor, informando sobre o adiamento, mas como a internet no local é bem ruim, só conseguimos ver minutos depois. Uma meia hora após o Estádio todo ter visto a nota, os alto falantes do Engenhão anunciaram o cancelamento do show”, conta.

O motivo oficial do cancelamento da apresentação não foi informado pela equipe da artista. Na sexta-feira (17), uma fã da cantora, de 23 anos, passou mal e morreu após uma parada cardiorrespiratória no mesmo Engenhão. A morte fez milhares de fãs denunciarem, nas redes sociais, a proibição por parte da organização da entrada de pessoas no Estádio com garrafas de água, logo na semana em que o Rio de Janeiro atingiu as temperaturas mais altas do ano, com sensação térmica de mais de 50ºC em alguns dias.

“Não podia entrar com garrafas de água na sexta. Lá dentro, uma garrafa estava sendo vendida a cerca de R$ 10. Mas não foi só o preço, o problema é que não tinha para todo mundo, mesmo pagando. Vi relatos de gente tentando comprar água dentro do Estádio e não tinha mais”, relata a maringaense.

“Nós vimos depois que o prefeito do Rio e o Flávio Dino interviram para que os fãs pudessem entrar com água no sábado, mas o show foi cancelado. Não sabemos se foi por isso ou por algum outro motivo”, complementa.

Frustração, amizades e uma corrente do bem

A apresentação de Taylor Swift que deveria ocorrer no sábado (18) foi reagendada para a tarde desta segunda-feira (20). No Rio de Janeiro, o 20 de novembro é feriado estadual da Consciência Negra. Amanda conseguirá assistir o show reagendado. No entanto, amigos e pessoas que conheceu durante a estadia no Rio não terão a mesma sorte.

A jovem relata ter conhecido pessoas de várias regiões do Brasil e que gastaram quantias consideráveis, alguns superando os R$ 10 mil, para poder ver o show no sábado (18). Porém, nem todos conseguiram se organizar para assistir a apresentação desta segunda-feira (20).

“No Rio é feriado hoje (segunda), mas em outras cidades não. Conheci gente do Espírito Santo, de Belo Horizonte, também de outros lugares do Paraná. Eu até consegui me organizar para ver o show hoje, mas nem todos conseguiram. Ouvi pessoas falando sobre compromissos de trabalho ou estudo nesta segunda que impossibilitaram ver o show. Tem a questão financeira também, já que muita gente gastou bastante e as estadias no Rio de Janeiro estão muito caras nesses dias, fora que tem menores de idade que queriam ver a apresentação, mas que a entrada só era permitida com um responsável, então nesses casos são duas, às vezes três passagens”, exemplifica.

No entanto, a maringaense relata uma espécie de ‘corrente do bem’ entre os fãs da artista norte-americana. “Nas comunidades, muita gente se organizando para tentar trocar ingressos de uma data para outra. Também vimos gente que não poderia comparecer na segunda mas, ao invés de pedir reembolso, estava doando os ingressos para quem pudesse assistir. Essa parte eu achei muito bacana”, relata.

Foto: Arquivo Pessoal


Compartilhar