Aprovado 1º doutorado profissional de História em rede da UEM

Compartilhar

Foto: Reprodução

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) teve mais um curso de doutorado aprovado, na última reunião do colegiado da Capes, o Conselho Técnico-Científico de Ensino Superior (CTC/ES), que delibera sobre as atividades de avaliação da pós-graduação. Trata-se do curso do Doutorado Profissional em História, que tem sede na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e um grupo de docentes que participa em rede. Esse grupo é ligado ao doutorado profissional em História da instituição carioca, cuja equipe da UEM já participava em rede do mestrado profissional.

O novo doutarado da UEM foi aprovado com nota 5, um score considerado importante (nota de excelência vale 7), para o início de um curso de pós-graduação. A publicação da Capes foi divulgada no último 10 deste mês com os resultados do 2º conjunto da Avaliação de Propostas de Cursos Novos (APCN). A análise efetuada, por meio do colegiado da Fundação com membros da comunidade acadêmico-científica eleitos pelos pares, ocorreu na reunião realizada entre os dias 26 a 30 de junho. A listagem pode ser acessada no site da Capes e na página do colegiado.

Segundo o pró-reitor de Pós-Graduação (PPG/UEM), Mauro Ravagnani, a tramitação para criação do programa deve iniciar em breve, internamente à UEM. “Por ser um doutorado profissional, essa aprovação tem uma importância especial já que sua vocação é atender a professores do ensino médio, que já estão no mercado de trabalho”, comentou.

Com mais essa aprovação da Capes, a UEM possui agora 32 cursos de doutorado.

Vale ressaltar que o CTC-ES/Capes recebeu 1.054 propostas de cursos novos. A expressiva quantidade tem levado o colegiado a analisar os pedidos em diversos encontros. O primeiro conjunto foi avaliado de 22 a 26 de maio e publicado em junho. Os próximos seguirão o calendário de reuniões.

Primeira Etapa

A APCN: é a primeira fase para a criação de um curso de pós-graduação stricto sensu regular. Na avaliação são consideradas a adequação ao desenvolvimento regional e nacional e a importância socioeconômica do curso, além da comprovação de competência e qualificação acadêmica, didática e científica. Outros aspectos observados são a infraestrutura de ensino e pesquisa, o quadro de professores e o acesso a equipamentos de informática atualizados, com internet, base de dados e fontes de informação multimídia.

Sobre o CTC-ES: O CTC-ES é o colegiado da CAPES que delibera sobre as atividades de avaliação da pós-graduação, como as propostas de cursos novos (APCN) e a avaliação de permanência dos programas de pós-graduação. O Conselho também colabora na elaboração do Plano Nacional de Pós-Graduação (PNPG) e propõe estudos e diretrizes para o aprimoramento das atividades da Fundação. É composto por três diretores da CAPES, 18 representantes da comunidade acadêmica (eleitos entre os 49 coordenadores das áreas de avaliação) e os presidentes da Associação Nacional do Pós-Graduandos (ANPG) e do Fórum Nacional de Pró-reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (Foprop).


Compartilhar