Projeto que visa formar leitores e escritores está com inscrições abertas para oficinas gratuitas

Compartilhar

Estão abertas as inscrições para participar das oficinas literárias do projeto “Escrevivências”, organizadas pelo Ateliê Culturama e viabilizadas pelo Prêmio Aniceto Matti. Serão três oficinas gratuitas de escrita criativa, que tem como objetivo formar leitores e, principalmente, escritores.

Com carga horária de 4h, as aulas acontecem nos dias 17, 18 e 25 de março e serão ministradas pelas professoras de Língua Portuguesa, Literatura e Redação Aline Rodrigues dos Santos e Maria Julia Werneck. Elas irão compartilhar técnicas de escrita e leitura e orientar a produção de narrativas literárias, por isso cada oficina disponibiliza apenas 10 vagas, totalizando 30 alunos.

Ao final do projeto os textos produzidos resultarão em um podcast coordenado pela compositora, professora e produtora musical Raquel Carreira.

Escrevivência é um termo emprestado da escritora Conceição Evaristo. Segundo a consagrada autora, trata-se da escrita contaminada pela vida, mas não qualquer vida, a vida das minorias que podem fazer literatura por uma perspectiva inovadora, que denuncia a realidade ao mesmo tempo em que a transforma.

Por isso, o projeto quer formar escritores cuja matéria-prima da escrita seja a própria vida. Para tanto, o primeiro passo será realizar a leitura de trechos escolhidos de obras literárias consagradas, como “Ponciá Vicêncio”, de Conceição Evaristo e “Quarto de Despejo”, de Carolina Maria de Jesus, entre outras.

Na sequência, os textos serão discutidos; as narrativas pessoais serão produzidas e corrigidas/orientadas pelas oficineiras, para só então darem início ao podcast que leva o nome do projeto. Também haverá um momento do curso destinado à orientação sobre como proceder para se tornar uma escritora (o), falando sobre como trabalham as editoras, como funcionam concursos, como utilizar internet e redes sociais e projetos culturais municipais, estaduais e federais.

Segundo as organizadoras, a inspiração para este trabalho será a vida mais cotidiana dos maringaenses, vidas minoritárias, cujas realizações não estão registradas na história ou na literatura canônica. O público-alvo (a partir de 14 anos) é a diversidade de minorias existentes na cidade de Maringá, com foco também em alunos de escolas públicas. O projeto prevê a contratação de intérprete de Libras, caso seja necessário.

Para a professora Aline Rodrigues, “ler e escrever literatura proporcionam desenvolvimento da criatividade, aumento de vocabulário, produz conhecimento, humaniza, possibilita posicionamento crítico, enriquece social e culturalmente. Assim, o sujeito, que se encaixa em uma vivência de minoria, amplia sua visão de mundo e, pela contemplação de outras realidades, livra-se de preconceitos e, mais que isso, é imbuído de recursos criativos para (re) criar sua própria realidade. Por isso, o nome ‘escrevivências’, pois um dos objetivos aqui é a transformação efetiva de modos de vida que podem ser criados a partir das narrativas de si mesmo”.

Serviço:

Escrevivência: oficinas de leitura e escrita criativa

Datas disponíveis: 17, 18 ou 25 de março

Horário: das 13h30 às 18h – carga horária: 4 horas

Endereço: Ateliê Culturama – Rua Marcelino Leonardo, nº 147, Jardim Monte Carlo.]Classificação indicativa: acima de 14 anos

Inscrições gratuitas preenchendo um dos formulários abaixo.

Para participar dia 17/03:

https://docs.google.com/forms/d/1nUkTu4utIhR22OPNVTHV4ztRGO4YWOFcAPT5pVK3FSM/edit

Para participar dia 18/03:

https://docs.google.com/forms/d/1GME6wYUtCLgrz_esHQ-wOkdv-MPsFk-PvM78-cJj3hM/edit

Para participar dia 25/03:

https://docs.google.com/forms/d/1fyCq11RbtPMAelVZ5xJKVqOR2boaVkSEvUJHnQxgmvk/edit

Foto: Raquel Carreira


Compartilhar