Maringá cria comitê de fiscalização de festas clandestinas

fiscalização festas clandestinas

Órgãos públicos e forças de segurança de Maringá vão reforçar medidas de fiscalização de festas clandestinas na cidade.
Foto: Mileny Melo / Prefeitura de Maringá

Maringá cria comitê para endurecer medidas de fiscalização de festas clandestinas na cidade. Um dos principais objetivos é evitar a presença de crianças e adolescentes nestas festas, pois, muitas vezes, acontecem situações de violência e utilização de elementos desfavoráveis à saúde.

O comitê será formado por membros da prefeitura, assistência social, judiciário e forças de segurança como Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Segundo a Prefeitura de Maringá, para realizar essa fiscalização com antecedência, o grupo de segurança deve começar a monitorar as redes sociais, já que muitos convites para festas clandestinas circulam por lá.

Reclamações de moradores

Além de impedir a participação do público menor de idade nas festas, o comitê também quer oferecer resposta às pessoas que moram nas regiões onde os eventos acontecem, que já fizeram diversas reclamações sobre as festas clandestinas.

Em Maringá, um dos pontos mais comuns desse tipo de evento é a Avenida Petrônio Portela.

Além de casos de perturbação do sossego, as festas clandestinas também já foram cenário de situações de violência, o que ameaça a segurança tanto das pessoas que as frequentam como os moradores em volta. Esses são alguns dos motivos de reclamação.