Varíola dos Macacos: capacitação de profissionais da saúde para diagnóstico precoce continua

Imagem: Prefeitura de Maringá

O primeiro caso suspeito de varíola dos macacos foi descartado em Maringá. Os testes negativos da paciente  foram divulgados ontem (18).

Atualmente, mais de 200 profissionais da área da saúde, tanto pública quanto privada, já foram capacitados para diagnosticar precocemente a doença.

Nesta terça-feira, 19, os treinamentos continuam na Diretoria de Capacitação, na Rua Piratininga, com a médica epidemiologista Jussara Titato. Participaram profissionais da saúde de Maringá e cidades da região.

Com a identificação precoce dos casos suspeitos, a Saúde realiza coleta de amostras e encaminha para o Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) para análise detalhada. Em Maringá, há dois casos suspeitos em investigação: um homem entre 30 e 40 anos, que apresentou sintomas compatíveis com a doença e foi atendido na UPA Zona Sul; e um homem entre 20 e 30 anos, que também apresentou sintomas e foi atendido na UPA Zona Norte. Ambos têm histórico de viagem, estão estáveis e em isolamento domiciliar, sendo monitorados pela equipe de saúde.

A varíola dos macacos é uma doença viral e a transmissão entre humanos ocorre principalmente por contato com lesões de pele de pessoas infectadas e por meio de gotículas respiratórias. Os sintomas envolvem lesões na pele, febre, dor de cabeça, dores musculares, calafrios e fadiga.