Maringá registra queda de cerca de 20% no número de novos casos de HIV

Maringá vem desenvolvendo um conjunto de estratégias de atendimento denominadas “Prevenção Combinada”, que prevê a adoção de cuidados para prevenir o HIV/Aids, de acordo com as possibilidades e escolhas de cada pessoa. Sem exclusão ou substituição de um método a outro. A premissa é que as tecnologias preventivas podem ser conjugadas e combinadas com as intervenções já consagradas na resposta à doença.

Entre as estratégias estão o uso de preservativos masculino, feminino e gel lubrificante, testagem regular para o HIV e outras ISTs, Profilaxia Pós-Exposição(PEP), tratar todas as pessoas que vivem com HIV/Aids, Profilaxia Pré-Exposição (PrEP), diagnosticar e tratar as pessoas com IST, imunizar para hepatites virais e HPV, prevenir a transmissão vertical e reduzir danos.

O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) realiza todas as formas preventivas em relação ao HIV e todas as outras doenças sexualmente transmissíveis recomendadas pelo Ministério da Saúde (MS). Desde 2010, o MS preconiza o uso de medicamentos antirretrovirais. A PEP se insere no âmbito da prevenção combinada e consiste na prescrição de medicamentos em até 72 horas após o contato da exposição de risco ao HIV. O atendimento é considerado de urgência e é realizado na Unidade de Pronto Atendimento 24h  UPA Zona Sul.

De acordo com o coordenador, Marcelo Silva, desde 2019 o CTA vem oferecendo gratuitamente a Profilaxia Pré-Exposição ao HIV (PrEP), que consiste no uso de antirretrovirais (ARV) utilizados antes da exposição sexual para reduzir o risco de infecção da doença. Essa estratégia tem se mostrado eficaz e segura em pessoas com risco aumentado de adquirir a infecção.

A epidemia de HIV/Aids no Brasil está concentrada em alguns segmentos populacionais que respondem pela maioria de casos novos da infecção, como gays e outros homens que fazem sexo com homens, pessoas trans, profissionais do sexo e casais sorodiferentes. A Prefeitura de Maringá tem aproximadamente 700 pessoas fazendo uso da PrEP no CTA. Os números da doença vêm decrescendo. Nos últimos dois anos ocorreu queda de 20%.

O CTA faz em média 500 testes por mês. O atendimento é diário, das 7h às 16h de segunda a quinta-feira. As demais Unidades Básicas de Saúde (UBSs) também fazem a testagem gratuita por meio de agendamento. O teste é feito com profissionais especializados, sob sigilo, e o resultado é apresentado em apenas 15 minutos.

O tratamento é feito por meio Antirretrovirais (ARV). O médico que realiza o acompanhamento prescreve a medicação ideal para cada paciente, lembrando, que os novos antirretrovirais praticamente não possuem efeitos colaterais. A nova medicação é disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) gratuitamente.

Imagem – Aldemir de Moraes


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.