Aulas presenciais na UEM retornam no dia 17 de janeiro, com rígido protocolo de biosegurança

Retomada seguirá protocolos de biossegurança elaborado pelo Comitê Covid-19 da Universidade Estadual de Maringá

 

Depois de dois anos de campus vazio, finalmente a Universidade Estadual de Maringá (UEM) já tem data para receber de volta seus alunos e professores. O retorno das aulas presenciais se dará no dia 17 de janeiro.

A definição aconteceu nesta quarta-feira, 17, quando o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) da UEM aprovou a retomada de aulas presenciais do segundo semestre do ano letivo de 2021 para as graduações em janeiro do ano que vem, seguindo rigorosos protocolos de biossegurança.

O Parecer 027/2021 da Câmara de Graduação, Extensão e Educação Básica e Profissional (CGE), do relator Ednei Aparecido Santulo Junior, foi aprovado pelo CEP com 121 votos favoráveis, além de 2 contrários e 3 abstenções.

O documento prevê o retorno gradual das aulas presenciais, ainda referentes ao segundo semestre letivo de 2021: início no dia 10 de janeiro de 2022, de forma remota, para viabilizar a organização dos câmpus para receber os alunos e professores após o recesso de fim de ano; presencialmente, retorno em 17 de janeiro para as turmas a partir dos segundos anos e 31 de janeiro para os calouros, ou seja, as turmas de primeiro ano.

Na reunião, que foi presidida pelo reitor em exercício, Ricardo Dias Silva, também foi decidido que, a fim de recuperar a carga horária que não foi ofertada durante o ensino remoto, os cursos poderão ofertar até 20% da carga horária das disciplinas no formato a distância.

  • 10 de janeiro: retorno remoto para todos os alunos;

  • 17 de janeiro: retorno presencial para alunos a partir do 2° ano; 

  • 31 de janeiro: início de aulas presenciais dos calouros (1° ano).

 

Histórico

Com o surto da pandemia de Covid-19 no Brasil, não apenas a UEM, mas todas as Universidades do país necessitaram substituir as atividades presenciais por remotas fazendo uso das tecnologias digitais e da Internet. Dessa forma, o CEP aprovou a Resolução 006/2020, que autorizou o Ensino Remoto Emergencial (ERE) na universidade a fim de retomar o calendário acadêmico de disciplinas presenciais, suspensas desde 7 de maio de 2020.

Neste período foi implantada a Comissão de Acompanhamento, que aprovou parâmetros para retomada das diversas atividades didáticas presenciais na universidade, tendo como base a matriz de risco epidemiológico do município de Maringá.

“Estamos em um momento em que a matriz de risco epidemiológico encontra-se em nível baixo há mais de dois meses e, portanto, fornece segurança para que se planeje um retorno às atividades letivas presenciais”, explica Ednei Aparecido Santulo Junior.

Ainda de acordo com o relator, o retorno imediato é inviável pois a retomada das atividades presenciais exigirá que muitos alunos procurem moradias nos municípios que abrigam câmpus da UEM ou transporte fretado diário. “Além disso, encontramo-nos a poucas semanas do final do semestre letivo, o que tornaria esse planejamento ainda mais dificultoso. Outro fator a ser considerado é que a retomada das atividades letivas demandará alguns serviços e possíveis readequações nos Câmpus para garantir um retorno seguro à comunidade acadêmica, o que demanda um período de reflexão e planejamento”, esclarece Santulo Junior.

 

Aulas presenciais para cursos da saúde 

A retomada gradual das aulas presenciais se deu desde 2020, com a publicação da Resolução 017/2020 admitindo-se o retorno das atividades letivas presenciais para os dois últimos anos dos cursos do Centro de Ciências da Saúde (CCS), seguindo as diretrizes da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná.

Além dessas turmas, com a Resolução 024/2021-CEP, 30% dos demais anos dos cursos dos cursos de  Biomedicina, Enfermagem, Medicina, Farmácia, Odontologia, puderam retornar presencialmente, seguindo os protocolos de biossegurança elaborados pelo Comitê Covid-19 da universidade.

Hoje a UEM oferece 32 disciplinas práticas profissionalizantes, na modalidade presencial, aos cursos de graduação, além do internato 1 e 2 para o curso de Medicina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *