Inscrições para programa de tratamento da obesidade abrem nesta quarta, 10

A Prefeitura de Maringá decidiu abrir nesta quarta, 10, as inscrições para a participação em um programa voltado ao tratamento da obesidade da população de 16 a 59 anos. A iniciativa é da Secretaria de Saúde e em parceria com Secretaria de Esportes e Lazer.

O projeto é baseado nas diretrizes do Governo Federal, que lançou um Manual de Atenção às Pessoas com Sobrepeso no Âmbito da Atenção Primária à Saúde do Sistema Único de Saúde e criou uma linha de cuidados da Obesidade.
Com as ações do governo, o projeto ganhou uma nova dimensão de acesso a toda população interessada. Lançado pela Prefeitura de Maringá, no último 13 de outubro, foi um sucesso e encerrou as inscrições em menos de uma hora.

“A procura mostrou a necessidade de ampliar o projeto à população interessada, conforme território e facilidade de acesso pelas Unidades Básicas de Saúde (UBSs). Dessa forma, o público interessado deve procurar a sua UBS de referência e deixar seu nome para que o profissional da saúde entre em contato e agende a avaliação, triagem e demais encaminhamentos clínicos necessários”, explica o gerente de Promoção e Prevenção em Saúde da Prefeitura e profissional de educação física, Geison Soares.

A iniciativa foi viabilizada a partir da proposta de criação e implantação do Centro de Referência em Avaliação e Tratamento Multiprofissional da Obesidade (CRATO), conforme tramitação na XII Conferência Municipal de Saúde, atendendo a Portaria nº 424/2013 do Ministério da Saúde. Começar o programa pelas Unidades Básicas de Saúde, além de facilitar o atendimento da população, permite os encaminhamentos clínicos necessários e maior segurança ao paciente e a toda equipe multiprofissional envolvida.

Nos Centros Esportivos, as atividades práticas serão coordenadas por profissionais de Educação Física, direcionadas para melhora da condição física do indivíduo e qualidade de vida. “A adoção de hábitos saudáveis a partir da prática da atividade física orientada condiciona a uma melhora não apenas da saúde física, mas também da saúde mental, das relações sociais, comportamentais e de doenças associadas”, enfatiza Viviane dos Santos, Gerente de Pesquisa, Planejamento e Avaliação da Secretaria de Esportes e Lazer.

“Os índices de obesidade são crescentes em todo território nacional e  a doença é considerada uma condição pandêmica em muitos países. Com isso, esperamos atender ao máximo de pessoas interessadas, bem como, ampliar e redimensionar a proposta do projeto a todas as instâncias municipais para que ele se torne referência para outros municípios em todo território nacional”, frisa Geison Soares.

Mais informações aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *