Maringá e toda a região com abastecimento de água afetado pelo temporal

abastecimento de água afetado

Dez dias após toda a região de Maringá ser afetada por um temporal que deixou cidades sem luz e sem água, o problema volta a se repetir, agora com maior gravidade. Sem energia elétrica, as bombas da captação de água em rios ou poços artesianos não podem funcionar e, assim, toda a região está com o abastecimento de água afetado.

A falta de energia elétrica provocada pelas fortes chuvas e ventania que atingiu o Paraná no sábado, 23, afetou o abastecimento de água em 85 localidades abastecidas pela Sanepar neste fim de semana. As regiões do Noroeste e Oeste foram as mais atingidas. Apesar de todos os esforços das equipes da Copel, algumas unidades de produção e de distribuição de água ainda estão sem energia, inviabilizando a sua operação. De acordo com informações a Copel, mais de 300 mil imóveis ficaram sem eletricidade.

Esta é a segunda vez, em dez dias, que as tempestades causam estragos e prejudicam abastecimento de água no estado. Em Foz do Iguaçu, o temporal prejudicou o abastecimento de água para 70% da cidade. Em, Londrina ainda 15% dos imóveis ainda estavam com o abastecimento comprometido neste domingo (24). Na região de Paranavai, 13 cidades tiveram o abastecimento de água paralisado. A tempestade ainda afetou o abastecimento nas regiões de Cascavel, Toledo, Apucarana, Arapongas. Campo Mourão e Umuarama.

Região Oeste

Na região além de de Cascavel, a falta de eletricidade afetou Lidoeste, Guaraniaçu e distrito Guaporé, Santa Tereza do Oeste, Corbélia e Distrito Penha, Distrito Santo Izidoro em Três Barras do Paraná, Matelândia, Ramilândia, Braganey e distrito Longuinópolis, Ibema, Campo Bonito, Iguatu e Ceu Azul

As cidades de Catanduvas, Capitão Leonidas Marques, Santa Lucia e Três barras do Paraná a eletricidade foi restabelecida na manhã deste domingo e o abastecimento de água está sendo retomado.

Na região de Toledo, as unidades de Terra Roxa, Distrito Ponte Nova, em Diamante do Oeste, Vera Cruz do Oeste e Distrito São Sebastião e Cafelândia também estão sem eletricidade. Além disso estão comprometidos os distritos de Bela Vista do Oeste (Guaíra), Palmitópolis (Nova Aurora), Carajá (Jesuítas), Luz Marina (São Pedro do Iguaçu), Dois Irmãos (Toledo) e Central Santa Cruz (Cafelândia). Na cidade de Toledo o fornecimento de água está comprometido nos bairros Jardim Porto Alegre, Concórdia, Bandeirantes e Independência. A Sanepar está instalando geradores para retomar a produção.

Na região de Foz, São Miguel do Iguaçu está com o abastecimento parcialmente comprometido e em Santa Terezinha de Itaipu, Itaipulândia, Missal, Medianeira e Santa Helena as unidades ainda estão com a produção paralisada.  Em Foz do Iguaçu, a estação de água da Vila C ficou com a produção paralisada e isso afeta o abastecimento de água para 70% da cidade. As regiões norte, leste e centro da cidade estão sem água.

No Noroeste mais uma vez

As cidades comprometidas são Paranavaí, Amaporã, São Carlos do Ivaí, Graciosa, Planaltina do Paraná, Paranacity, Cruzeiro do Sul, Guaraci, Inajá, Mirador, Nova Aliança do Ivai, Santo Antonio do Caiuá, São João do Caiuá

Na região de Umuarama e Campo Mourão o tempral afetou o abastecimento em Farol, Cianorte, Indianópolis, Goioerê, Guaporema, Tuneira do Oeste e distritos de Vila Carbonera, em Maria Helena e de Roberto Silveira, em Umuarama.

Na região de Maringá, ficaram desabastecidas além da Cidade Cançao, Paiçandu, Nova Esperança, Astorga, Mandaguaçu, Ourizona e Floraí

No Noroeste do Paraná, as cidades mais afetadas foram Londrina e o distrito de Warta, Cambé, Godoy Moreira, Novo Itacolomi, Jandaia do Sul, Rolândia e distrito São Martinho, Centenário do Sul, Arapongas, Porecatu, Sabáudia, Florestópolis, Jandaia do Sul, Cafeara, Santo Inácio, Primeiro de Maio e Ventania.

Turvo, na região central também teve o abastecimento de água comprometido neste domingo em decorrência do temporal.

SEM ENERGIA, SEM ÁGUA – Todo maquinário e equipamentos de grande porte nas mais de 3.400 unidades operacionais da Sanepar nos 346 municípios onde a Companhia atua precisam do fornecimento de energia. Em todo o caminho percorrido pela água há necessidade de motores, bombas, válvulas e sistemas de automação, e todos esses equipamentos utilizam energia elétrica. Portanto, quando falta energia, também pode faltar água.

(Assessoria de Imprensa da Sanepar)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *