Mesa redonda debate novas perspectivas para o Aeroporto Regional de Maringá

30 de agosto de 2021
Aeroporto Regional
Foto - Arquivo PMM

O Aeroporto Regional Silvio Name Júnior, de Maringá, que completou 20 anos em 2021, se prepara para a retomada das operações do Terminal Internacional de Cargas (Teca). Somada à ampliação da pista de pouso e decolagem, o objetivo é viabilizar o retorno de operações de cargas internacionais, abrindo espaço para oportunidades econômicas e contribuindo para o desenvolvimento regional.

E justamente esse será um dos assuntos discutidos nesta segunda-feira, 30, em uma mesa-redonda nesta segunda-feira, 30, promovida pelo Instituto Mercosul e Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM). O tema central será: “Logística Internacional em foco: Novas perspectivas do Aeroporto de Maringá”.

“A SBMG Terminais Aéreos, empresa que administra o Aeroporto de Maringá, cumpriu a primeira e importante parte do início de uma grande transformação no desenvolvimento do hub logístico de Maringá e região. A ampliação da pista, demais benfeitorias realizadas e a concessão do Teca abre as portas de Maringá para o mundo”, destaca o superintendente do aeroporto, Fernando Rezende.

Com a concessão do Teca, além do desembaraço aduaneiro, que vai colocar Maringá como um porto primário aéreo – pois o aeroporto estará apto a receber cargas do mundo inteiro, diretamente -, é possível desenvolver outras alternativas que revolucionarão o desenvolvimento econômico de Maringá e região, de acordo com Rezende.

“Podemos ainda desenvolver alternativas como ‘Aeroporto Indústria’, onde podemos ser um hub de cargas importadas e reexportadas, um polo aeronáutico com atração de indústrias do segmento de componentes aéreos; implantação de Zonas de Processamento de Exportação (ZPE), o que transformaria a cidade em um grande hub de e-commerce, entre outras possibilidades. Enfim, podemos nos posicionar como uma cidade mundial, projeto que o prefeito Ulisses Maia coloca como uma de suas metas do mandato”, reforça.

O superintendente do aeroporto reforça que as possibilidades estão sendo discutidas com a classe empresarial, incluindo a Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM), por meio do Instituto Mercosul, e o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem), além da Secretaria de Inovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação (Siacom) e a própria equipe do aeroporto. “Estamos na busca de informações técnicas e levantamento de dados que vão resultar em ações assertivas e direcionadas no foco do desenvolvimento econômico futuro”, acrescenta Rezende.

A empresa mineira BHZ Logística Integrada é a concessionária do Teca do Aeroporto de Maringá. O CEO da empresa, Leonardo Coli, será o palestrante da mesa-redonda e abordará as perspectivas para o terminal.

“Pretendo abordar a importância estratégica do aeroporto e sua localização no sul do país; a perspectiva de criação do ‘aeroporto indústria’ como atração de negócios em conformidade com Masterplan; o que se tem feito para captar clientes de forma internacional; a criação da BHZ Log Portugal, que será uma base na Europa para atrair players logísticos importantes; além da importância que este projeto representa para a BHZLOG dentro do desenvolvimento de Maringá”, destaca.

Além do CEO da BHZ Logística Integrada, participam do evento o primeiro vice-presidente da ACIM, Wilson Matos Silva Filho; o presidente do Instituto Mercosul, Aluizio Andreatta; o presidente do Conselho de Comércio e Serviços da ACIM, Petrojan Vaz Neves; o prefeito de Maringá, Ulisses Mais; e o superintendente do Aeroporto de Maringá, Fernando Rezende. A conversa será mediada pelo pesquisador e especialista em história local, Miguel Fernando. A transmissão da mesa-redonda será às 19 horas, pelo canal do Instituto Mercosul no YouTube, neste LINK.