Novas vacinas chegam nesta terça, um dia depois de Maringá entrar na Justiça contra a Sesa

A expectativa é de que a Justiça se pronuncie nesta terça-feira, antes do recebimento das novas vacinas, sobre a ação impetrada pela prefeitura de Maringá pelo direito de receber vacinas em quantidades proporcionais à população do município

10 de agosto de 2021
novas vacinas
Foto - AEN

Depois da troca de farpas entre o prefeito Ulisses Maia (PSD) e o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, no domingo, sobre a quantidade de vacinas a que Maringá tem direito e a quantidade que vem recebendo, de fato, nesta terça-feira, 10, a cidade recebe nova remessa de vacinas e a expectativa é se Maringá vai receber um quantitativo proporcional ao tamanho de sua população ou se receberá proporcionalmente menos do que os municípios vizinhos, como vem acontecendo nas últimas semanas. As novas vacinas devem chegar no final da tarde.

Até junho, entre as cidades de médio e grande portes, Maringá era a cidade com a vacinação mais avançada do Brasil, sendo destaque no noticiário nacional e estadual, porém, desde que prefeitos da região reclamaram, mostrando desconfiança que o porcentual de doses recebido por Maringá era superior ao dos demais municípios, Maringá passou a receber menos e desde então a vacinação do público em geral, por faixa etária, caiu e a cidade ficou atrasada em relação a suas vizinhas. Maringá chegou a passar semanas inteiras sem continuar a vacinação de primeira dose por faixa etária porque faltou vacina.

Nesta terça-feira, Sarandi está vacinando o público de 27 anos ou mais. Já Maringá, que antes era a que estava mais avançada, ainda vai vacinar o público de 31 anos.

Nesta segunda-feira, o município deu entrada na Justiça a uma Ação Ordinária de Obrigação de Fazer com Tutela de Urgência, com o objetivo de impor à Secretaria de Estado da Saúde a obrigação de restabelecer o total de doses de vacina contra a covid-19 a que Maringá tem direito, proporcionalmente.

 

Novas doses chegando

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) inicia nesta terça-feira a distribuição, para as Regionais de Saúde, de 209.170 doses de vacina. “Cada remessa de vacina recebida é uma dose de esperança a mais para todos nós. Contamos com a colaboração dos municípios, para que tão logo recebam essas doses, façam chegar até o braço dos paranaenses. Juntos vamos vencer o coronavírus”, afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

Segundo ele, nesse momento as doses estão sendo utilizadas para acelerar a imunização na população geral acima de 18 anos. “O Estado tem feito uma distribuição justa e respeitosa com todos os municípios. A maioria está desde o começo da campanha caminhando mais ou menos junta, isso mesmo com 399 realidades distintas. Queremos alcançar 80% dos vacinados com ao menos uma dose já até o fim desse mês”, afirmou Beto Preto.

INFORME TÉCNICO – Segundo o Informe Técnico do Ministério da Saúde, metade das doses da CoronaVac (33.800 doses) é destinado à primeira aplicação (D1) e metade à segunda dose (D2). Já o lote da Pfizer (141.570 doses) é dedicado integralmente à D1. Portanto, 175.370 vacinas (83,84% do lote) possibilitarão novas imunizações no Paraná, enquanto 33.800 (16,16%) finalizarão o esquema vacinal de pessoas já vacinadas com a D1.

DISTRIBUIÇÃO – A logística de distribuição das doses será realizada à tarde, nesta terça, para as Regionais de Saúde de Foz do Iguaçu, Cascavel, Campo Mourão, Umuarama, Cianorte, Paranavaí, Maringá, Apucarana, Londrina, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Toledo e Ivaiporã (via aérea) e pela manhã para as Regionais de Saúde de Paranaguá, Metropolitana, Ponta Grossa, Irati, Guarapuava, União da Vitória, Pato Branco, Francisco Beltrão e Telêmaco Borba por meio terrestre.