Maringá tem a maior geração de empregos dos últimos 8 anos

2 de agosto de 2021
geração de empregos
O aquecimento da construção civil é um indicativo de retomada da economia Foto: Rafael Silva
Com os 5.316 empregos gerados no primeiro semestre de 2021, Maringá alcançou o melhor índice de empregabilidade dos últimos oito anos quando se avalia os índices do Ministério do Trabalho nos seis primeiros meses de cada ano. Colaborou para os números os esforços da Prefeitura de Maringá buscando rapidamente a retomada econômica logo após a crise nacional gerada pela pandemia de covid-19.
Na avaliação do prefeito de Maringá, Ulisses Maia, isso prova que foram acertadas as medidas que priorizaram a vida em meio aos riscos do vírus e a preocupação constante em decretar medidas razoáveis envolvendo a abertura gradual do comércio e das empresas em meio à pandemia.
Os bons índices, lembra o gestor, são fruto de uma série de medidas do plano de retomada econômica no município, que estimulou, além de empregos, o número de 5.003 empresas abertas em Maringá só no primeiro semestre de 2021, contra 3.882 empresas abertas no mesmo período de 2020, um aumento de 28,87%.
“Somos o município que mais gera empregos no interior do Estado e o vice-campeão de todo o Paraná! Empresas novas surgem na cidade e quem está estabelecido volta a contratar. Isso prova o nível de confiança do setor produtivo, que acredita em Maringá como lugar certo para morar, investir e crescer”, destaca Ulisses Maia.
Os índices envolvendo emprego em Maringá destoam do País de maneira geral, que sofre com os 14,6% da população que segue sem oportunidades de emprego, correspondendo, segundo o IBGE, ao número de 14,8 milhões de pessoas. Na avaliação do secretário da Fazenda de Maringá, Orlando Chiqueto, as medidas lançadas pela Gestão Ulisses Maia ainda em 2020 contribuíram para que a economia pudesse se recuperar rapidamente em Maringá.
“Para os micro e pequenos empresários, oferecemos aportes que garantiram crédito facilitado para superar o momento difícil, a exemplo do programa Juro Zero. Para todo o setor, de maneira geral, foram feitas medidas que facilitaram abertura de alvará, parcelamento ou suspensão temporária de débitos municipais e atos de desburocratização que estimularam os negócios”, explica Chiqueto.
O presidente da Noroeste Garantias, Carlos Ferraz, também destaca o papel da micro e pequena empresas no atual cenário econômico, que pede criatividade e otimismo por parte dos empreendedores.
“Ter uma política que possa oportunizar crédito mais adequado a estes empreendedores, assim como já acontece na Gestão Ulisses Maia, é fazer com que o ambiente de negócios da nossa região se demonstre capaz de oferecer oportunidades de crescimento das empresas existentes e também de implantação de novos negócios”, afirma Ferraz.
ACELERAR – Com a retomada econômica já acontecendo ainda este ano, aliada ao otimismo para 2022 por conta da vacinação contra covid-19 (em Maringá, 70% da população adulta já foi vacina com a primeira dose), o próximo passo é provocar a aceleração econômica almejando a continuidade do pleno emprego e aquecimento econômico.
O secretário da Fazenda explica que, ao lado do Sebrae da Secretaria de Inovação e Aceleração Econômica, a gestão atual já estuda executar planos com médio e longo prazo que também favoreçam a internacionalização da “marca” Maringá, que pode atrair negócios para estimular ainda mais as exportações.