Maringá e cidades da região discutem ideia de criação de uma UPA Metropolitana

30 de julho de 2021
UPA Metropolitana
Ulisses Maia convidou os prefeitos de Mandaguaçu e Ourizona para apresentar a ideia da UPA Metropolitana

A ideia de se criar uma unidade básica de saúde com capacidade e condições legais para atender moradores de vários municípios, uma UPA Metropolitana, está cada dia mais próxima de se tornar realidade. Nesta quinta-feira o assunto foi apresentado pelo prefeito de Maringá, Ulisses Maia (PSD), aos prefeitos de Mandaguaçu, Maurício Aparecido da Silva, o Professor Índio (PSB), e de Ourizona, Manoel Rodrigo Amado (MDB), além de vereadores dos dois municípios e secretariados municipais.

O objetivo é instalar em um ponto que fique próximo a várias cidades uma UPA bem aparelhada, com um corpo médico maior do que das demais unidades básicas e ambulâncias. Inicialmente a ideia é que essa UPA fique no distrito de Iguatemi, em Maringá, ponto estratégico para atender moradores de Mandaguaçu, Presidente Castelo Branco, Ourizona, Floraí, Uniflor e Atalaia.

A sugestão da UPA Metropolitana está na Câmara de Vereadores de Maringá há algumas legislaturas, mas nunca ganhou força suficiente para deixar de ser somente uma ideia. Um de seus mentores foi o atual presidente da Câmara, Mário Hossokawa (PP). Neste ano, porém, o assunto voltou à baila por iniciativa da vereadora Ana Lucia Rodrigues (PDT), em parceria com Hossokawa e o representante de Iguatemi na Câmara, Onivaldo Barris (PSL), mas a maioria dos vereadores já declara apoio a um projeto neste sentido.

 

Integração regional

 

A ideia ganhou forças porque o prefeito Ulisses Maia, que era vereador quando o assunto começou a ser discutido, considera que essa UPA será de grande importância no projeto de integração dos municípios da região, consolidando a ideia de região metropolitana.

Maia criou uma secretaria especialmente para promover essa integração, a Secretaria de Assuntos Metropolitanos e Institucionais, e nomeou o ex-prefeito de Floraí e ex-presidente da Associação dos Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep), Fausto Herradon, para o contato com os prefeitos.

Já há alguns meses Herradon trabalha nesta ideia e já chegou a conversar com alguns prefeitos sobre o assunto. Segundo ele, todos acham não só uma boa ideia, mas uma ideia necessária, já que para boa parte das cidades menores é difícil manter uma unidade básica de saúde de alto padrão.

 

CisAmusep, um modelo a ser seguido

 

A reunião desta sexta-feira foi a primeira para tratar do assunto, as próximas já deverão discutir como obter os recursos para a viabilização da ideia, projeto e quais municípios participarão.

Segundo a vereadora Ana Lucia, Maringá e os municípios vizinhos já têm experiência em trabalhos compartilhados. A prova é o Consórcio Intermunicipal de Saúde (CisAmusep), com sede em Maringá para atendimento, com consultas e tratamentos especializados, a moradores das 30 cidades da Amusep. O tipo de consórcio de saúde criado pelos prefeitos desta região hoje é modelo para todo o País.