Hospital Universitário de Maringá desmente que tem respiradores artificiais encaixotados

Por: - 31 de maio de 2021

O Hospital Universitário Regional de Maringá (HU) emitiu na tarde desta segunda-feira uma nota em que esclarece que é falsa a notícia veiculada por uma emissora de rádio de Maringá que teria sete respiradores artificiais encaixotados e sem uso.

A notícia da emissora, logo repercutida em redes sociais, pode prejudicar a imagem do hospital, que é a maior porta de entrada do Sistema Único de Saúde no Paraná, em um momento crítico em que o sistema de saúde de Maringá está praticamente colapsado, com falta de leitos de UTI e respiradores para atendimento aos pacientes de covid-19.

A direção do hospital, por meio da Assessoria de Comunicação da Universidade Estadual de Maringá (UEM), comunica que a informação foi baseada em boatos e que os equipamentos, recebidos por meio de doação da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim), encontram-se em uso na ala destinada ao tratamento de pacientes com Covid-19 desde o ano passado.

“Ressaltamos ainda que não temos nenhum equipamento sem utilização nos diversos setores do HU. Todos os respiradores recebidos por meio da Secretaria de Saúde do Paraná e do Ministério da Saúde, os doados e os adquiridos com recursos próprios da nossa instituição, um total de 35, foram montados e colocados imediatamente à disposição da equipe que presta assistência aos pacientes para garantir a qualidade do atendimento à população de toda nossa região”, diz a nota.

A lista completa de equipamentos recebidas pelo Hospital Universitário de Maringá por doação está no Portal de Transparência da UEM.

“O HU lamenta que circulem informações incorretas, promovendo a desconfiança, quando são necessárias medidas de esclarecimento e orientação. Estamos na linha de frente do combate ao coronavírus e toda nossa equipe está dedicando sua vida ao atendimento da comunidade”, conclui.

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.