Medidas restritivas ficam mais rigorosas em Maringá com novo decreto

19 de maio de 2021
Foto: Geraldo Bubniak/AEN

O toque de recolher e o horário de funcionamento do comércio e da prestação de serviços devem ficar mais rígidos a partir do novo decreto municipal com medidas mais restritivas que a prefeitura de Maringá vai divulgar hoje para entrar em vigor a partir das 5 horas da manhã da próxima sexta-feira, dia 21.

As novas medidas ficarão em vigor até o dia 31 deste mês. Segundo a prefeitura, esse enrijecimento é necessário diante do aumento nos números de contágios em Maringá – assim como nas demais regiões brasileiras -, possivelmente conseqüência do relaxamento e dos abusos por parte da população.

Segundo a prefeitura, quando o poder público flexibiliza as ações de contenção da covid-19, muita gente esquece as medidas individuais e coletivas de proteção. Voltam as aglomerações em bares, restaurantes e festas.

O resultado é o aumento de casos, lotação de unidades de saúde, enfermarias e unidades de terapia intensiva, as UTIs.

Um exemplo é que a média de incidência de contaminação no início de março era de 445 por 100 mil habitantes. No final de abril, com decretos mais rígidos, o número baixou para 157. Após a flexibilização, a incidência começou a subir novamente e já está em 189. Com tendência de alta. O índice satisfatório é 100 e o ideal é 20 (por cem mil habitantes).

Outro dado alarmante é o índice de transmissibilidade. Antes da flexibilização do decreto, ele era de 0.93, ou seja, um grupo de cem pessoas transmitia a covid-19 para 93 pessoas. De 6 a 15 de maio, a média de transmissão aumentou em 18%. Hoje, o mesmo grupo de 100 passa a doença para 118 pessoas. Sem restrições, a tendência é de alta.

 

Regulamentação das penalidades

A Prefeitura de Maringá encaminhou ontem, 18, para a Câmara Municipal Projeto de Lei Complementar que trata das penalidades aplicadas em razão de fiscalizações decorrentes da pandemia da covid-19. Entre as infrações administrativas, as punições vão da advertência verbal, passando por multas embargo, interdição e até cassação do Alvará de Localização e Funcionamento do Estabelecimento. As multas começam em R$ 150 e podem chegar a R$ 150 mil.