UEM comemora 45 anos de seu reconhecimento

O vice-reitor Ricardo Dias Silva diz que a UEM de hoje é a realização do sonho de uma geração que ousou sonhar alto

11 de maio de 2021
Campus da UEM em 1976
Em 1976 o campus da UEM contava com poucos blocos e quase nenhuma estrutura

Neste 11 de maio completa 45 anos que a Universidade Estadual de Maringá (UEM) obteve seu reconhecimento, dado por meio do Decreto Federal 77.583 de 11 de maio de 1976.

Com o reconhecimento de 1976, UEM pôde oferecer, com totais condições, novos cursos de graduação e atestava que ela era capaz de funcionar plenamente como uma legítima instituição de ensino superior brasileira, possibilitando sua expansão e consolidação de departamentos, colegiados de cursos e centros de ensino. O recredenciamento institucional mais atual da UEM data de 12 de março de 2020 e tem validade de dez anos, o que exigirá novo recredenciamento.

A partir do reconhecimento, a UEM começou a trilhar o longo caminho para ser o que é hoje: universidade pública, gratuita, de qualidade e sexta melhor estadual do Brasil, uma referência em Ensino, Pesquisa e Extensão. “Nosso desafio é renovar este compromisso com a população e reposicionar a instituição dentro de um novo momento. Mais do que ampliar a oferta de recursos humanos com ensino superior, temos a responsabilidade de qualificar o sistema, produzir conhecimento e proporcionar inclusão social”, destaca Ricardo Dias Silva, vice-reitor da UEM.

O professor ressalta que a UEM é um projeto da comunidade local, “um sonho realizado de uma geração que ousou sonhar alto, uma geração composta por pessoas que sabiam que desenvolvimento econômico, social, cultural e político é resultado de investimento em educação de qualidade”. Ele frisa que esses pioneiros “acreditavam na Ciência e no papel estratégico do Estado como indutores de políticas públicas que levem o país à autonomia e proporcionem qualidade de vida para seus cidadãos”.