Associação Bom Samaritano diz que servidor da prefeitura era tratado como usuário de plano de saúde

Por: - 17 de dezembro de 2020
Serviço é administrado atualmente pela Associação Beneficente Bom Samaritano, mantenedora do Hospital Santa Rita / Reprodução Sismmar

Por meio de uma nota, a diretoria da Associação Bom Samaritano apresentou ao Maringá Post uma espécie de justificativa para o resultado da licitação do Sistema de Atenção à Saúde dos Servidores do Município de Maringá (Sama), vencida pela SudaMed.

Desde 2007, quando foi criado o Sama, a Associação Bom Samaritano foi o único prestador de serviços de saúde aos funcionários municipais de Maringá, aos aposentados, pensionistas e dependentes. Segundo a nota a Associação Bom Samaritano diz que as 36 mil vidas foram tratadas durante todos esses anos como usuários do plano de saúde.

“Pelos 77 reais pagos pela prefeitura por vida, tinham o mesmo atendimento dos usuários do Santa Rita Saúde, que tem um ticket médio de 230 reais”, informou a associação.

Em relação ao novo valor, de R$ 44,42 ao mês por beneficiário, que levou a SudaMed a vencer a licitação, a Associação Bom Samaritano justifica que isso só se tornou possível com alterações drásticas edital. A principal foi a exclusão de uma cláusula que exigia do prestador do serviço a oferta de todos os atendimentos, sem possibilidade de associação, terceirização ou incorporação para a oferta dos tratamentos, consultas e exames, por exemplo, aos servidores.

Se a cláusula fosse mantida, apenas a Santa Casa de Maringá também teria condições de assumir o contrato. A SudaMed, que venceu a licitação não tem cadastro de instituição hospitalar. O registro da empresa é de intermediador de consulta.

A Associação Bom Samaritano informou que sempre manteve uma aprovação superior a 90% nos serviços prestados no Sama e que sempre ofereceu o melhor com as equipes de cirurgia cardíaca e neurocirugia, por exemplo, com os melhores equipamentos da cidade, entre outros, aos pacientes.

Para o futuro, a Associação Bom Samaritano deseja à SudaMed que possa prestar o melhor atendimento possível aos 36 mil usuários do Sama.

O secretário municipal de Recursos Humanos, César Augusto de França, informou que empresa ainda precisa apresentar, cinco dias após a convocação para assinar o contrato, os documentos que comprovem a capacidade de prestar o serviço.

Se a documentação não for entregue ou estiver irregular, a empresa é desclassificada e a segunda colocada, neste caso a Associação Bom Samaritano, é chamada.

Caso a documentação seja apresentada de acordo as exigências do edital, a expectativa é que o contrato com a SudaMed seja assinado até segunda-feira (21/12).

- Quer receber as notícias no seu WhatsApp? Clique aqui.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.