Arquidiocese de Maringá suspende celebrações de 1 a 11 de dezembro. Prefeitura vai ampliar restrições

Por: - 29 de novembro de 2020
Missas ficam suspensas entre os dias 1 e 11 de dezembro por causa da pandemia / Lethícia Conegero

O arcebispo de Maringá, Frei Sererino Clasen, decidiu anunciar a suspensão das celebrações presenciais nas igrejas de todos os municípios da Arquidiocese de Maringá entre os dias 1 e 11 de dezembro.

“É uma medida que precisamos tomar agora, ou não teremos as celebrações no Natal. Os hospitais estão saturados e a situação é gravíssima”, diz dom Severino Clasen.

Ele explicou que as igrejas vão permanecer abertas, mas apenas com missas online. As secretarias paroquiais e a Cúria Metropolitana também permanecem abertas para atender aos fieis.

Em relação aos casamentos já marcados para estes dias, os noivos precisam entrar em contato com os padres individualmente. O arcebispo explicou que os casos vão ser tratados de segundo as suas particularidades.

A decisão do arcebispo foi tomada com base na reunião das autoridades, realizada na manhã de sábado (28/11), no Paço Municipal de Maringá, com o lema “Pacto pela vida”. Uma nova avaliação vai ser feita pelo clero no dia 9 de dezembro.

Veja a entrevista exclusiva com o arcebispo de Maringá, Dom Frei Severino Clasen, gravada na noite de sábado.

A entidades representativas da sociedade, convocadas pelo prefeito Ulisses Maia para pacificar a adoção de medidas conjuntas de enfrentamento emergencial da pandemia, voltam a se reunir na segunda-feira (30/11), quando vai ser anunciado um novo decreto com medidas restritivas para Maringá.

O entendimento é pela adoção de medidas mais restritivas para conter a circulação do vírus num momento de rápido crescimento dos casos e, em consequência, maior demanda por internamentos.

“Sempre adotamos todas as medidas para evitar saturação da rede de atendimento e continuamos a fazer os investimentos, mas estamos num momento delicado que exige a participação de todos”, disse o prefeito Ulisses Maia.

Os casos em Maringá começaram a aumentar no dia 12 de novembro, reproduzindo tendência verificada em diversas cidades do Brasil e do mundo. Entre os dias 1º e 11 de novembro, a média diária ficou abaixo dos 70 casos, com pico de 176 positivados no dia 6 de novembro. A partir do dia 12, quando foram registrados 204 casos, veio a sequência de altas contínuas, situação reproduzida em diversos municípios do Paraná.

O relaxamento em relação aos protocolos de prevenção, como o descaso com o uso de máscaras e aglomerações, está entre os fatores que explicam a ascensão de casos. Conjunto de medidas adotadas pelo município alcança diversas áreas, a começar pela ampliação de leitos de UTI no Hospital Municipal, mudanças de rotina nos protocolos de atendimento nas unidades básicas de saúde, especialmente na UPA Zona Norte, referência ema tenção ao novo coronavírus.

“A construção do entendimento coletivo em torno do apoio a medidas restritivas, expressa no pacto pela vida, nos dá a certeza que a sociedade está unida e caminhando na mesma direção. Não tenham dúvida que vamos adotar todas as medidas necessárias para salvar vidas. Temos uma equipe técnica muito qualificada e a convicção de que vamos superar essa crise juntos, com cada um fazendo sua parte”, disse o prefeito Ulisses Maia.