Modelo cívico-militar é aprovado em quatro dos cinco colégios em Maringá

Por: - 5 de novembro de 2020
Em Maringá, proposta foi rejeitada no Colégio Estadual Brasílio Itiberê / Geraldo Bubniak / AEN

Quatro colégios serão cívico-militares em Maringá a partir de 2021. Inicialmente, o programa foi proposto para cinco instituições, mas em um dos colégios, no Brasílio Itiberê, a mudança não foi aprovada. A consulta pública à comunidade escolar nas unidades selecionadas para o programa de colégios cívico-militares terminou na terça-feira (4/11).

 Confira quais colégios serão cívico-militares em Maringá:

  • Colégio Estadual Alberto Jackson Byington Júnior
  • Colégio Estadual Tomaz Edison de Andrade Vieira
  • Colégio Estadual Vinicius de Morais
  • Escola Estadual Ipiranga

No Núcleo Regional de Educação (NRE) de Maringá, o programa tinha sido proposto para 12 unidades escolares. Além do Colégio Estadual Basílio Itiberê em Maringá, a proposta foi rejeitada no Colégio Estadual Jardim Independência em Sarandi.

Confira quais colégios serão cívico-militares na região de Maringá: 

  • Colégio Estadual Vercindes Gerotto dos Reis – Paiçandu
  • Colégio Estadual Cora Coralina – Sarandi
  • Colégio Estadual Pedro Viriato Parigot de Souza – Marialva
  • Colégio Estadual Serafim França – Astorga
  • Escola Estadual Cecília Meireles – Colorado
  • Colégio Estadual São Vicente Palotti – Mandaguari

Para que a implementação fosse efetivada, era preciso que mais de 50% das pessoas aptas a votar na escola participassem da consulta e que a maioria simples dos votantes (50% e mais um voto) fosse favorável ao programa.

A nova modalidade de ensino funcionará com gestão compartilhada entre militares e civis em escolas do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio a partir de 2021.

Nesses colégios, as aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual, enquanto os militares serão responsáveis pela infraestrutura, patrimônio, finanças, segurança, disciplina e atividades cívico-militares. Haverá um diretor-geral e um diretor-auxiliar civis, além de um diretor cívico-militar e de dois a quatro monitores militares, conforme o tamanho da escola.

O último balanço da consulta pública para adoção do modelo cívico-militar foi divulgado pela Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná na tarde de terça-feira (3/11). O balanço apontava que, das 216 instituições escolhidas, 197 haviam encerrado o processo e 176 aprovaram a mudança.

Outras 21 optaram pela manutenção do modelo tradicional. A consulta pública ainda continuava aberta em 19 escolas. No balanço ainda não estava o resultado das consultas públicas em colégios de Maringá e Sarandi.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.