Em áudio, ex-secretário de Ulisses Maia teria feito ameaças a ex-funcionária. Ela teria furtado saco de dinheiro vivo de Vagner de Oliveira

Por: - 3 de novembro de 2020
Dinheiro teria sumido da casa de ex-secretário, o que motivou ameaça de morte a mulher / Reprodução

O ex-secretário Municipal de Serviços Públicos da Prefeitura de Maringá, Vagner de Oliveira, é acusado de ameaças por uma mulher que seria ex-funcionária particular dele. O motivo seria o desaparecimento de um saco com dinheiro vivo de dentro do armário da residência do ex-secretário.

O ex-secretário se afastou do cargo para auxiliar na campanha eleitoral de 2020. Segundo a assessoria de Ulisses Maia, ele não faz parte da coordenação da campanha e não trabalha oficialmente nas eleições.

No entanto, Vagner de Oliveira trabalha informalmente na divulgação das propostas da chapa que defende a reeleição do atual prefeito.

Na queixa registrada por ameaças, a mulher disse desconhecer a existência da mala com dinheiro vivo e negou qualquer furto na casa de Vagner de Oliveira.

O áudio seria do ex-secretário, mas é preciso que a Polícia Científica realize as perícias necessárias para se afirmar que as ameaças partiram de Vagner de Oliveira.

As declarações são ameaçadoras. O homem que gravou os áudios diz que vai matar um parente da mulher que fez as acusações e, num segundo momento, diz que vai cortar os dedos dela.

O sumiço do dinheiro teria ocorrido no dia 23 de julho e a mulher teria obtido medidas protetivas contra o ex-secretário após ter feito as denúncias de ameaça, no final do mês de outubro.

A reportagem do Maringá Post não conseguiu confirmar a data do registro policial e se há medidas protetivas em defesa da mulher, conforme divulgado pela Jovem Pan.

O ex-secretário foi procurado pela reportagem. Ele disse que “esse caso é pessoal, ocorrido muito tempo depois de eu ter deixado a Prefeitura. Fui vítima de um furto e o caso está sendo apurado pela polícia”, afirmou.

Ao ser questionado, Oliveira não confirmou que o áudio foi gravado por ele e disse que não tem relação com a prefeitura e nem com a campanha eleitoral.

A coordenação da campanha de Ulisses Maia informou que não vai comentar o caso, pois se trata de uma questão particular sem qualquer vínculo à atual administração ou a campanha eleitoral. O caso foi revelado na manhã desta terça-feira (3/11) no Jornal da Manhã, da Jovem Pan do Paraná.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.