Pandemia eleva procura por atendimento psicológico no Seconci. Veja dicas de uma profissional

Por: - 28 de outubro de 2020
A psicóloga clínica Angela Cecília Rezende / Divulgação

Diante do estresse elevado, crises de ansiedade e dificuldades no relacionamento familiar, a procura por atendimento psicológico dobrou no Serviço Social do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Paraná Região Noroeste (Seconci/PR-Noroeste).

Tanto que o Seconci também ampliou o tempo destinado às orientações psicológicas durante o treinamento sobre a Norma Regulamentadora 18, que aborda os procedimentos e atitudes nos canteiros de obra.

Nas últimas semanas o treinamento, além de discutir motivação, dependência química e resoluções de conflitos, passou a abordar sintomas do estresse e depressão, exercícios de respiração e concentração.

A psicóloga clínica Angela Cecília Rezende, que faz os atendimentos aos trabalhadores, conta que desde que iniciou a pandemia aumentaram os relatos de ansiedade e de problemas nos relacionamentos que ocasionaram separações e divórcios.

Têm sido mais frequentes os relatos de trabalhadores com sintomas de ansiedade disfuncional, estresse e depressão, assim, é preciso prestar atenção em sinais como insônia, taquicardia, alteração de apetite, falta de energia, falta de ar, sudorese excessiva, formigamento nas mãos e nos pés, irritabilidade excessiva, sentimento de solidão, pensamentos negativos e insegurança.

“Quando pelo menos quatro desses sintomas duram mais do que 15 dias é hora de procurar ajuda”, alerta.

Os trabalhadores têm apresentado medo de contrair o novo coronavírus; falta de convívio social; sobrecarga com a escolarização e cuidados de filhos que estão sem aulas; cansaço com o novo ritual de higienização frequente das mãos, uso de máscaras, sanitização de calçados; e distanciamento dos colegas, que podem desencadear o desiquilíbrio emocional.

Nos atendimentos, a psicóloga orienta a melhorar a respiração e concentração, com práticas e exercícios. No caso de trabalhadores que presenciarem colegas com crise de ansiedade, o recomendado é não pedir para a pessoa se acalmar, mas ajudá-la a respirar adequadamente, dando exemplo, e fornecendo um copo de água para ser consumida lentamente.

Quando a ansiedade disfuncional está em estágio avançado, a psicóloga encaminha o trabalhador para atendimento médico, que também é ofertado no Seconci.

Os atendimentos médicos, psicológicos e odontológicos são gratuitos para os trabalhadores, já que o Seconci é mantido pelas construtoras.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.