Polícia Rodoviária Federal apreende ouro e esmeraldas em rodovias do Paraná. Pedras preciosas e barras foram apreendidas

Por: - 25 de outubro de 2020
Esmeraldas apreendidas em Campo Mourão pela Polícia Rodoviária Estadual. Transporte ilegal, sem documentação / Divulgação PRF

O fim de semana nas rodovias federais do Paraná foi marcado por duas apreensões pouco comuns no Estado. Em Campo Mourão, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu dentro de uma mochila, 148 gramas de pedras de esmeraldas.

A bolsa estava dentro de uma caminhonete conduzida por um home de 45 anos. O condutor informou aos agentes ter saído de Cascavel, na região Oeste do Estado e tinha como destino a cidade de Água Boa no Mato Grosso.

Ele também afirmou aos policiais que tinha recebido as pedras como pagamento de um dívida, porém, não apresentou documentos de origem, nem de transporte.

Diante dos fatos os agentes apreenderam as pedras preciosas e encaminharam à Delegacia da Polícia Federal em Maringá. O condutor, foi liberado para seguir viagem.

Ele vai receber um prazo para apresentar os documentos exigidos por lei. Se não o fizer, vai perder as pedras preciosas, que são transferidas em favor da União. O condutor também poderá em tese, responder criminalmente por transporte de pedras preciosas sem a devida autorização legal.

Outra apreensão pouco comum feita pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas rodovias do Paraná foi de uma carga de seis quilos de ouro.  Segundo os agentes, o ouro, que pertenceria ao crime organizado, foi avaliado em mais de R$ 2 milhões.

A apreensão do ouro do crime organizado ocorreu no sábado (24/10), no município de Medianeira (PR), km 675, da BR-277, por volta das 14h20.

Os policiais abordaram um automóvel, conduzido por um homem, que estava junto com três passageiras. Após atender a ordem para que o deixassem, uma das mulheres lançou um pacote para debaixo do veículo.

Ao localizar o objeto, foram flagradas 6 barras de ouro, num total de 6,025 kg. As barras estavam envoltas em plástico bolha. O valor chega a R$ 2.050.000,00, na cotação atual de mercado regular.

Foi dada voz de prisão para a responsável pelas barras pelo crime de usurpação de bem ou matéria-prima da União, que tem pena de detenção, de um a cinco anos e multa.

Ela confessou aos policiais que pegou o pacote na rodoviária de Foz do Iguaçu (PR) e faria a entrega na rodoviária de Cascavel (PR), onde receberia R$ 100,00 pelo translado.

A ocorrência foi direcionada à Polícia Federal, em Foz do Iguaçu. O Delegado de plantão ratificou o flagrante, e encaminhará as barras para posterior exame pericial.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.