Justiça autoriza uso de força policial para garantir porcentual mínimo de ônibus em Maringá e linhas metropolitanas

Por: - 18 de setembro de 2020
Ônibus começam a deixar garagem após ordem da Justiça do Trabalho / Maringá Post

O desembargador e vie-presidente do Tribunal de Regional do Trabalho (TRT) do Paraná determinou que um oficial de justiça processa a constatação e, se necessário, convoque a força policial para garantir a circulação de ao menos 70% da frota das linhas urbanas e metropolitanas.

Durante esta sexta-feira (18/9), a frota chegou a ser 100% paralisada nas garagens das empresas, o que prejudicou as pessoas que dependem do transporte coletivo.

Garagem das empresas TCCC e Cidade Verde ficaram bloqueadas durante toda a sexta-feira / Angelo Rigon

Por volta das 17 horas, uma oficial de justiça foi até a Avenida Monteiro Lobato e fez a notificação das lideranças do movimento grevista que impediam a passagem dos ônibus e dos funcionários que estavam na escala de trabalho. Após a notificação, os ônibus voltaram a circular para atender aos passageiros de Maringá e das linhas metropolitanas.

Segundo a decisão judicial do vice-presidente do TRT, a verificação sobre o cumprimento do porcentual mínimo de ônibus em circulação e de eventuais bloqueis por parte do sindicato que coordena a paralisação, deve se feita novamente às 4 horas deste sábado (19/9) e no mesmo horário na manhã da segunda-feira (21/9).

Acesse aqui e veja o que diz a íntegra da decisão judicial do TRT, que autorizou o uso de força policial para garantir a circulação de 70% dos ônibus.

Na manhã desta sexta-feira (18/9) uma audiência da Justiça do Trabalho terminou sem acordo e os motoristas decidiram dar continuidade na greve, inclusive, com a paralisação total dos ônibus e o risco de uma multa diária de R$ 50 mil.

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.