Lepac recebe da Receita Federal 500 kits para testes rápidos da Covid-19

Por: - 27 de agosto de 2020
Professora do Departamento de Análises Clínicas e Biomedicina (DAB) recebe os kits do delegado da Receita Federal de Maringá /ASC UEM

Na terça-feira (25/8), o  Laboratório de Ensino e Pesquisa em Análises Clínicas (Lepac) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) recebeu 500 kits da Receita Federal para fazer Testes Rápidos de Anticorpos da Covid-19.

O laboratória vai utilizar 200 kits para a testagem de funcionários do Lepac, que estão em atividade, sem interrupção, desde o início da pandemia. Os outros 300 kits foram entregues para uso no Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM) da UEM.

O Laboratório de Ensino e Pesquisa em Análises Clínicas (Lepac) está realizando coletas de sangue e testes rápidos do novo Coronavírus em funcionários da Receita Federal  desde o final de julho até dia 16 de setembro.

No início do mês de junho, o laboratório tornou-se habilitado para realizar os testes moleculares da Covid-19. Para o credenciamento, o Lepac passou pelo processo do Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública (SISLAB), o qual atende ao Decreto Estadual nº 4261/2020 que “estabelece critérios para a habilitação de laboratórios interessados no Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública – SISLAB, como medida para enfrentamento da emergência de saúde pública de importância internacional decorrente do coronavírus – Covid-19”.

Para isso, o laboratório deve atender os requisitos sanitários estabelecidos pela Resolução de Diretoria Colegiada – RDC nº 302/2005 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA; e comprovar a existência, no laboratório, de biologista molecular com experiência mínima de um ano na realização de testes baseados em PCR em tempo real.

Além disso, é necessário que o laboratório informe ao Laboratório Central do Estado do Paraná – Lacen/PR qual metodologia adotada pelo laboratório para a detecção de Covid-19; possuir Laboratório de Contenção NB2 para manipulação das amostras e disponibilidade de EPIs adequados a este nível de contenção; e enviar, obrigatoriamente, ao Lacen/PR, amostras com resultado detectável, em quantidade e volume determinados pela equipe técnica, para verificação de desempenho do teste. Veja o Decreto Estadual completo.d

Tem uma dica de notícia? Fez alguma foto legal? Registrou um flagrante em vídeo? Compartilhe com o Maringá Post, fale direto com o whats do nosso editor-chefe.